Clique e assine a partir de 9,90/mês

Saldão pré-votação do impeachment: Dilma faz trocas em 26 órgãos federais

Para garantir que mudanças ocorreriam antes da decisão na Câmara, governo publicou edição extra do DOU

Por Da Redação - 16 Apr 2016, 16h12

Às vésperas da votação do impeachment, a presidente Dilma Rousseff promoveu dezenas de trocas em cargos comissionados de 26 órgãos da administração federal, seja diretamente nos ministérios ou fundações e autarquias vinculadas. Alguns dos partidos atingidos são o PP, o PMDB e o PRB.

O governo Dilma passou a negociar abertamente o voto de parlamentares em troca de cargos. Parte da série de mudanças envolve cargos federais de segundo e terceiro escalão em Estados do Nordeste, como Sergipe, Alagoas e Paraíba. É justamente a região do país cujos parlamentares sofrem mais assédio, seja da petista ou de governadores que a apoiam.

As nomeações e exonerações foram publicadas na edição extra do Diário Oficial da União veiculado na noite desta sexta-feira. A edição regular só volta na próxima semana. Sem o poder de publicar os nomeados, deputados desconfiavam das promessas e negociações. Eles reclamavam, nos bastidores, que o governo não tinha como garantir que seriam cumpridas. Uma das teses é de “desconfiança e falta de credibilidade para negociar”.

O deputado Joaquim Passarinho (PSD-PA), favorável ao impeachment, citava como exemplo que um nomeado recente para diretoria do Incra em Santarém, no Pará, indicado pelo nanico PTN, teve problemas para assumir o cargo porque o PT local, antes no comando, instou uma greve no órgão, mesmo depois de o Ministério do Desenvolvimento Agrário publicar a nomeação. Trata-se de Adaias Cardoso Gonçalves, diretor apadrinhado pelo deputado Chapadinha (PTN-PA). Passarinho disse que o leilão de votos cessaria porque o próximo Diário Oficial da União seria publicado apenas depois do impeachment. “Acabou a compra de deputados”, disse ao site de VEJA.

Horas depois, o Planalto soltou a edição extra, com dezenas de trocas.

Veja abaixo a lista de órgãos em que houve trocas:

Continua após a publicidade

Ministro de Estado da Integração Nacional – José Pinheiro Dória, interino ligado ao PP, foi demitido

Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia – Sudam

Departamento Nacional de Obras Contra as Secas – Dnocs

Secretaria de Aviação Civil – Juliano Alcântara Noman, secretário vinculado ao ex-ministro Eliseu Padilha e ao vice-presidente Michel Temer, do PMDB

Fundação Nacional de Saúde – Funasa

Ministério do Esporte – Dirigente do PRB, o então secretário de Inclusão Social Carlos Geraldo foi exonerado

Continua após a publicidade

Advocacia-Geral da União

Ministério da Agricultura

Ministério da Ciência e Tecnologia

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

Instituto Brasileiro de Museus

Fundação Biblioteca Nacional

Continua após a publicidade

Ministério da Defesa

Ministério da Fazenda

Ministério da Justiça

Polícia Rodoviária Federal

Departamento Penitenciário Nacional – Depen

Conselho Administrativo de Defesa Econômica – Cade

Continua após a publicidade

Fundação Nacional do Índio – Funai

Departamento Nacional de Trânsito – Denatran

Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos

Itamaraty

Ministério do Desenvolvimento Agrário

Instituto Chico Mendes

Continua após a publicidade

Ministério do Trabalho

Ministério dos Transportes

Publicidade