Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Rouco, Lula grava vídeo: “Estou doido para falar bem alto”

Na primeira manifestação após início do tratamento contra câncer, ele demonstra confiança na recuperação e diz estar pronto para a batalha

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva comentou pela primeira vez seu diagnóstico de câncer na laringe, conhecido no sábado. Em um vídeo gravado nesta terça-feira (assista abaixo), pouco antes de deixar o Hospital Sírio-Libanês, e divulgado no site do Instituto Cidadania, Lula falou com a voz muito rouca e falha e lamentou não poder fazer um pronunciamento em alto e bom som – como de costume. “Vocês percebem que minha voz não está boa ainda. Estou doido para falar bem alto um ‘companheiros e companheiras’ mais forte, mas não estou podendo”, disse.

Ao lado da mulher, Marisa Letícia, o ex-presidente agradeceu as manifestações de solidariedade e disse estar confiante no tratamento. “O que aconteceu comigo é daquelas coisas que acontecem com todo mundo, mas a gente nunca acha que vai acontecer com a gente”, disse. “Não é a primeira nem será a última batalha que vou enfrentar, estou preparado para enfrentar mais uma e acho que vamos conseguir tirar de letra.”

Lula mandou uma mensagem para quem passa por problemas como o dele. “Não existe espaço para pessimismo”, disse. “Sem perseverança, muita persistência e garra a gente não consegue nada. Nenhum ser humano pode se deixar vencer por uma dor ou um câncer. Tem que lutar.”

Assim como fez ao receber a visita da presidente Dilma Rousseff, o ex-presidente demonstrou preocupação com os rumos do Brasil. “Eu acho que a gente precisa continuar acreditando no Brasil, botando fé nele. Será inexorável a caminhada do país para se transformar numa grande economia e a gente tem que fazer o que tem que ser feito, acreditar na nossa presidente, ajudá-la”, disse.

Os médicos do Hospital Sírio-Libanês que acompanham o ex-presidente afirmaram na segunda-feira que sua voz poderia ser afetada com o tratamento. Ele deveria, portanto, ser acompanhado por um fonoaudiólogo.

Repouso – Após receber alta do Hospital Sírio-Libanês, Lula chegou em casa em São Bernardo do Campo, às 16h20. Ele está descansando, em companhia da mulher, Marisa Letícia. Pouco antes das 18 horas um caminhão de mudança entregou no apartamento do ex-presidente um sofá e uma poltrona. Os carregadores, que entraram no apartamento de Lula, disseram que o ex-presidente estava dormindo. Os móveis foram doados por um comerciante da cidade, fã do ex-presidente. No início da noite, um entregador levou para Lula um buquê de rosas amarelas.

Tratamento – Na tarde de segunda-feira, Lula passou por uma cirurgia para a inserção de um cateter sob a pele do lado direito do peito por meio do qual os medicamentos da quimioterapia são injetados na corrente sanguínea. As substâncias são incluídas por uma agulha acoplada a uma bomba de infusão que será retirada cinco dias após a operação. O ex-presidente não precisará voltar ao hospital para retirar a agulha. Fará o procedimento em casa mesmo.

Na manhã desta terça-feira, Lula foi submetido a um exame que acompanha o funcionamento dos órgãos do corpo e analisa a possibilidade de haver outros tumores além do detectado na laringe no último sábado. Kalil Filho disse que o exame não identificou qualquer anormalidade e que Lula ainda não sentiu qualquer efeito colateral da quimioterapia.

O ex-presidente será submetido à segunda sessão de quimioterapia no final de novembro e à terceira em dezembro. Na segunda quinzena de janeiro será iniciado o tratamento de radioterapia, com previsão para terminar no fim de fevereiro.

Diagnóstico – O câncer do ex-presidente foi diagnosticado no sábado por médicos do Hospital Sírio-Libanês. O tumor tem três centímetros e agressividade média. Não há sinais de que a doença tenha afetado outras partes do corpo. Diagnosticado a tempo, esse tipo de tumor tem 90% de chance de cura.