Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Rosa Weber confirma Barroso como relator da candidatura de Lula no TSE

Distribuição de pedidos de impugnação para Admar Gonzaga criou impasse

Por Da redação Atualizado em 16 ago 2018, 22h25 - Publicado em 16 ago 2018, 22h17

A presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Rosa Weber, decidiu nesta quinta-feira manter o ministro Luís Roberto Barroso como relator do pedido de registro de candidatura à Presidência de Luiz Inácio Lula da Silva.

A decisão de Rosa Weber foi necessária porque, apesar de Barroso ter sido sorteado para relatar o caso do petista ainda na quarta, pedidos de impugnação feitos antes mesmo do registro da candidatura de Lula já haviam sido distribuídos para o ministro Admar Gonzaga.

Diante do impasse, a defesa do petista pediu que a presidente do TSE esclarecesse quem seria o relator do processo de registro.

Embora os advogados de Lula afirmem que “não têm qualquer objeção” à distribuição da relatoria a Barroso, petistas preferiam que o caso ficasse com Admar. Na visão dos aliados do ex-presidente, uma decisão contrária proferida por Barroso teria um peso maior pelo fato de o ministro também ser do Supremo Tribunal Federal (STF).

Impugnações

Na quarta-feira, poucas horas depois de o PT entrar com o pedido de registro da candidatura, a procurador-geral da República Raquel Dodge protocolou uma impugnação (questionamento) argumentando que o ex-presidente está inelegível de acordo com os critérios da Lei da Ficha Limpa — conheça como funciona o processo. Outras contestações também foram feitas pelos candidatos a deputado federal Alexandre Frota (PSL) e Kim Kataguiri (DEM) e pelo presidenciável Jair Bolsonaro (PSL).

(Com Agência Brasil)

Continua após a publicidade

Publicidade