Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Rogério Onofre, solto por Gilmar Mendes, é considerado foragido

Ex-presidente do Departamento de Transportes Rodoviários do RJ foi solto por habeas corpus na terça-feira, mas não estava no local informado às autoridades

Por Da redação - 26 ago 2017, 08h43

O ex-presidente do Departamento de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro (Detro-RJ) Rogério Onofre, que teve novo mandado de prisão expedido pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal, é considerado foragido. Até a noite desta sexta, 25, ele ainda não havia sido encontrado.

Após ser beneficiado por um habeas corpus concedido pelo ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), na terça-feira, Onofre havia indicado sua casa, em Paraíba do Sul, no sul do estado do Rio, como endereço domiciliar. As medidas restritivas impostas pelo STF previam que ele deveria ficar lá à noite e nos finais de semana. Nesta sexta, porém, não foi encontrado no endereço.

Segundo o Jornal Nacional, da Rede Globo, a defesa de Rogério Onofre informou que ele havia saído de casa por não se sentir seguro, mas ele irá se apresentar espontaneamente à Polícia Federal neste sábado.

O novo mandado de prisão foi decretado pelo juiz Marcelo Bretas no início da tarde. O magistrado justificou o pedido a “indícios suficientes que apontam para a autoria de crime de ameaça e possível delito de obstrução da Justiça”.

Publicidade

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade