Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Réu no caso Marielle, Ronnie Lessa tem patrimônio milionário, diz polícia

Imóveis e carros de luxo e lancha estão na lista de bens ocultos; 11,3 milhões de reais passaram pelas contas dele, da esposa, do irmão e de comparsas

Por Cássio Bruno Atualizado em 15 out 2021, 14h31 - Publicado em 15 out 2021, 14h17

Preso acusado de ser o autor dos tiros que mataram a vereadora do Rio de Janeiro, Marielle Franco (PSOL), e o motorista dela, Anderson Gomes, o ex-policial Ronnie Lessa vivia uma vida de luxo apesar de receber salário de pouco mais de 7 mil reais mensais. É o que apontou o relatório final de investigação da Polícia Civil fluminense, em parceria com o Ministério Público, de 88 páginas, sobre a movimentação financeira de Lessa ao qual VEJA teve acesso. Entre 1º de janeiro de 2014 a 1º de julho de 2019, o homem apontado pela polícia como assassino da parlamentar, familiares dele e comparsas de sua quadrilha movimentaram 11,3 milhões de reais, segundo informações da quebra de sigilo do grupo.

Do total, Lessa recebeu na conta bancária 100 mil reais em dinheiro vivo, sem a origem e o autor do depósito conhecidos, sete meses depois dos crimes que chocaram o país em março de 2018. Até hoje os mandantes dos assassinatos não foram identificados. Imóveis e carros de luxo, lancha e até terrenos fazem parte do complexo patrimônio oculto de Ronnie Lessa. Na última quinta-feira, 14, a Justiça do Rio determinou novamente as prisões de Lessa e de sua esposa, Elaine Pereira Figueiredo Lessa, por lavagem de dinheiro. Os mandados foram expedidos pela 1ª Vara Especializada da Capital após um pedido do MP.

Abaixo, alguns dos bens de Ronnie Lessa:  

– Imóvel na Avenida Lúcio Costa, na Barra da Tijuca: valor 850 mil reais

“Foi demonstrada nessa investigação a ocultação da propriedade por Ronnie Lessa do imóvel (…) através de pessoa interposta, o seu irmão Dennis Lessa. (…) foi apreendida a escritura de compra e venda de imóvel, datada de 07/07/2015, na qual a propriedade é transferida de Gloria Ferreira Gaspar Costa para o nacional DÊNNIS LESSA (irmão de Ronnie Lessa) pelo valor de R$ 850.000,00 (pago pelo Cheque administrativo nº 637011, emitido pelo Banco Itaú nº 341, agência 8100 – fls. 142 do apenso 1), além de diversos outros documentos como contas de luz, IPTU e certidões deste imóvel, todos em nome de DÊNNIS (vide fls. 25/200 do apenso I)”, diz o relatório da polícia.

“Estes fatos indicam a intenção de Ronnie Lessa em ocultar esse imóvel de seu patrimônio declarado, cabendo destacar que no dia 29/06/2015 (um dia antes do pagamento do ITBI do imóvel – fls. 129 do apenso 1), DÊNNIS forneceu uma Procuração a Ronnie Lessa outorgando poderes para representá-lo em instituições financeiras (fls. 135/137 do apenso 1)”, informou o documento.

– Imóvel no condomínio Porto Galo, Angra dos Reis: valor 600 mil reais

“Terreno localizado no Lote 67, Gleba D, Fazenda Itapinhoacanga, Condomínio Porto Galo – Angra dos Reis/RJ (Registro Geral 6522 do 2º Ofício de Justiça e Registro de Imóveis de Angra dos Reis – vide fls. 61/62 do apenso de Certidões de Imóveis), que indicam que no dia 11/06/2015, foi realizada a Escritura Pública de Cessão de Direitos Aquisitivos, lavrada no Cartório do 1º Ofício de Notas do Rio de Janeiro (fls. 247/250 do apenso 2), com valor declarado de R$ 50.000,00, mas avaliado pelo poder público municipal por R$ 600.000,00, estando atualmente registrado no Registro de Imóveis no nome de Ronnie Lessa e Eliane Pereira Figueiredo Lessa (Escritura de compra e venda lavrada no 3º Ofício de Notas da Capital em 07/07/2015 vide fls. 278 e fls. 224 e 282/292 do apenso 2)”, afirma a investigação.

– Imóvel no condomínio PIER 51, em Mangaratiba/RJ: valor 40 mil reais

“Terreno localizado na Rua B, s/nº Lote nº 44, Condomínio PÍER 51, Sitio Bom e Pinheiro, 1º Distrito de Mangaratiba/RJ cep 23860-000(Registro Geral 13244 do Registro de Imóveis de Magaratiba) – constando na Escritura de Compra e Venda de 20/09/10, a transmissão da propriedade para Ronnie Lessa e Eliane Lessa pelo valor de R$ 40.000,00 (vide fls. 241 – Escritura lavrada no 18º Ofício de Notas e fls. 468 e 478/481 do apenso 3)”, diz um trecho do relatório.

– Lancha Real 330 Special Edition: valor 319,1 mil reais

“Além de ter deixado Ronnie Lessa guardar em sua residência peças para montagens de fuzis, ainda, segundo ele próprio afirmou em suas declarações (vide cópia as fls. 291/293), o mesmo “emprestou o seu nome” para Ronnie Lessa comprar uma lancha nova no final do ano de 2018, não havendo nenhuma dúvida que este bem, apesar de estar em nome de Alexandre Motta de Souza, pertence a Ronnie Lessa”, afirma a investigação.

Continua após a publicidade

– Quantia de 61,2 mil reais apreendida em espécie  

 – Quantia de 50 mil reais apreendida em espécie

“Por ocasião do cumprimento de mandado de busca e apreensão no endereço Rua Magalhães Couto, nº 763, Bloco 06, apartamento 402, bairro Méier, Rio de Janeiro/RJ, local de residência dos nacionais JOÃO BATISTA LESSA e GENY BATISTA LESSA (genitores de RONNIE LESSA), formalizado através do registro de ocorrência nº 901   00317/2019 (fls. 24/32), de 12/03/2019 onde foram apreendidos R$ 50.000,00 em espécie (cinquenta mil reais – fls. 30 e 301/302, RO 901-00317/2019 da DHC/DHPP). Ressaltese que estes valores não foram declarados à Receita Federal e não foi esclarecido até o momento qual é a sua origem, restando clara a intenção de ocultação desta quantia”.

– Casa na Rua Professor Henrique, 841, Pechincha/RJ: valor de 35 mil reais

“Em relação à casa localizada na Rua Professor Henrique, 841, casa 17 – Pechincha/RJ, verificou-se que, conforme ofício do 5º Ofício do Registro de Distribuição há uma Escritura de promessa de cessão de direitos aquisitivos e promessa de venda de benfeitorias deste imóvel lavrada no 23º Ofício de Notas, datada de 09/10/2002, para o nacional Ronnie Lessa e Elaine Pereira Figueiredo Lessa, pelo valor de R$ 35.000,00 (vide fls. 556/561 e 544/555 do apenso 3)”.

– Veículo NISSAN I/INFINIT FX 35 AWD: valor 160 mil reais  

“Foi apreendido no RO 901-00311/2019 da DHC/DHPP, constando como proprietário a empresa DPM SOM ACESSÓRIOS E EQUIPAMENTOS PARA AUTOS LTDA (fls. 311/312), localizada no bairro da Barra da Tijuca, entretanto, o possuidor deste veículo, segundo consulta no sistema INFOSEG (vide fls. 312) é o nacional MAXWELL SIMÕES CORREA, bombeiro militar do CBMERJ, amigo de Ronnie Lessa de vulgo “SUEL” (vide depoimento de Alexandre Motta as fls291/293), que sofreu também em sua residência localizada na Rua Paulo Klabin, n° 142, Casa 2, Recreio dos Bandeirantes, o cumprimento de mandado de busca e apreensão, oriundo do IP 901-00385/2019 da DHC/DHPP (Processo nº 0072026-61.2018.8.19.0001) que investigou a morte da vereadora Marielle Franco e de seu motorista Anderson Gomes (vide fls. 437). Destaque-se que “SUEL” estava em companhia de Ronnie Lessa quando o mesmo foi baleado em 27/04/2018 na Barra da Tijuca em uma tentativa de assalto, conforme o APF nº 016-03774/2018 da 16ª DP – Barra da Tijuca (fls. 316 e 321), fato este que ratifica a existência de relação de amizade entre os dois (vide também notícia de jornal de fls. 318)”.

– LAND ROVER – 110 mil reais

– JEEP/RENEGADE –  81 mil reais

“A esposa de Ronnie Lessa, a nacional ELAINE PEREIRA FIGUEIREDO LESSA, comprou em 30/10/2018 o veículo JEEP/RENEGADE (fls. 308/309 e 473), de placa LMP-4I73, ano 2018 por R$ 81.000,00 quitado em espécie (vide documentos de fls. 506/521 do apenso III), tendo sido o veículo sofrido processo de blindagem nível IIIA (vide fls. 519 e 521 do apenso III), medida de segurança esta que custou a quantia de R$ 41.000,00, mais uma vez despesa esta quitada em espécie, conforme informação oferecida pela respectiva blindadora (vide fls. 329/331, 411/412 e reposta do ofício de fls. 423/432 dos autos principais). Ressalte-se que Alexandre Motta em seu termo de declaração (fls. 291/293) afirmou “que a última vez que viu Ronnie Lessa o mesmo estava na posse de um veículo Jeep Renegade de cor vinho, no mês de fevereiro deste ano e que no início de 2018 Ronnie Lessa andava com uma Land Rover Evoque de cor azul”.

Continua após a publicidade

Publicidade