Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

PTB silencia sobre envolvimento de Jovair em propina no Trabalho

Em nota, Roberto Jefferson evitou sair em defesa de Jovair Arantes, líder do PTB e apontado como destinatário de propina em troca de registros sindicais

Por Marcela Mattos Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 15 mar 2018, 17h49 - Publicado em 2 mar 2018, 14h19

O presidente do PTB, Roberto Jefferson, soltou nota nesta sexta-feira em que afirma que o partido “vai tomar as medidas que julgar necessárias” sobre o pagamento de propina orquestrado no Ministério do Trabalho, pasta dominada por sua legenda. Na nota, Jefferson não negou o esquema de corrupção, registrado em vídeo e em áudio, e evitou sair em defesa do deputado Jovair Arantes, líder do PTB na Câmara e responsável por lotear no ministério peças-chave na engenharia da fraude. Nos registros, o parlamentar é citado como “quem manda no pedaço” e acusado de ser destinatário de parte da propina em troca de um serviço no ministério.

Reportagem de Veja desta semana mostra como funcionava um esquema de pagamento de propina em troca da liberação de registro sindical. Por trás dele estão dois sobrinhos de Jovair: Leonardo Arantes, que foi alçado por ele secretário-executivo no Trabalho, e Rogério Arantes, diretor do Incra. Foram cobrados 3,2 milhões de reais do empresário Afonso Rodrigues de Carvalho, dono de uma pequena transportadora e presidente do Sintrave, um sindicato das microempresas de transporte rodoviário de veículos novos do Estado de Goiás, em troca do registro. À época, o ministério era comandado por Ronaldo Nogueira, deputado e também indicado pela bancada da Câmara – comandada por Jovair.

Em sua manifestação, Roberto Jefferson afirmou que não cabe ao PTB apurar denúncias e que o partido “recebe com reservas” o conteúdo publicado por Veja. “O que causa espécie é a revista envolver todo o PTB como se houvesse um esquema deliberado do partido no Ministério do Trabalho”, disse, em uma clara tentativa de se descolar do esquema que tem o representante de seu partido na Câmara apontado como artífice.

Confira a íntegra da nota:

A respeito da matéria de capa de Veja envolvendo petebistas no Ministério do Trabalho, a Direção Nacional do partido informa quê:

Continua após a publicidade

1. Ao PTB não cabe apurar denúncias, e o partido recebe com reservas o conteúdo publicado pela revista – contudo, não vai se eximir de, no curso das investigações, tomar as medidas que julgar necessárias internamente.

2. Procurado por Veja, eu disse à revista que ouvisse as pessoas citadas na matéria.

3. O que causa espécie é a revista envolver todo o PTB como se houvesse um esquema deliberado do partido no Ministério do Trabalho.

4. Quanto aos Correios, informo a todos que o caso relativo a minha pessoa já foi arquivado por falta de provas porque, como disse desde o início do escândalo publicado pela revista em 2005, eu não participei de nenhum esquema na estatal.

Continua após a publicidade

5. A respeito das insinuações feitas por Veja sobre os motivos pelos quais Cristiane Brasil “insistiu” em ocupar a chefia do citado ministério, informo que a deputada é a relatora do projeto sobre a regulamentação do lobby no país, proposta que se arrasta há anos no Congresso Nacional.

6. Quanto à citação sobre o mensalão e o presidente Lula, afirmo que infelizmente o governo Lula não foi “dizimado”, pois o país não estaria vivendo o vergonhoso escândalo do petrolão.

7. Por último, quem lê minhas postagens nas redes sociais sabe que pessoalmente eu não defendo a participação de partidos políticos em órgãos do governo, especialmente em estatais.

Roberto Jefferson
Presidente Nacional do Partido Trabalhista Brasileiro

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.