Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

PT transforma ‘aniversário’ em palanque de Dilma e Padilha

Presidente ataca opositores "pessimistas" e diz que tem "energia redobrada para fazer mais" durante evento convocado pelos 34 anos do partido

Por Felipe Frazão
10 fev 2014, 21h44

O PT transformou o evento de comemoração do aniversário de 34 anos do partido, em São Paulo, num ato pela reeleição da presidente da República, Dilma Rousseff, e pela eleição do ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha ao governo do Estado. A presidente acusou a oposição de fazer jogo político com “pessimismo” e de atacar a autoestima dos brasileiros. Padilha voltou a usar o tema da criminalidade contra o governador Geraldo Alckmin (PSDB).

“Quero dizer a vocês que eu possuo energia e disposição redobrada para fazer mais”, disse Dilma. O discurso da presidente teve inúmeras citações ao “futuro” e às “oportunidades” do país. A presidente enumerou programas de governo, como o Brasil sem Miséria, e disse que os resultados “são emocionantes”.

Ela afirmou que “um arco de forças”, formado por pais e mães trabalhadores, “leva o Brasil para frente”, ao lado de um “governo baseado num partido e numa aliança que têm compromisso com o país”.

Dilma afirmou que “lutar cada vez mais” pela educação de crianças, adultos e pelo ensino técnico é o que distingue o PT dos demais partidos. Ela também enumerou investimentos da ordem de 143 bilhões de reais em mobilidade urbana.

Sem citar nomes, Dilma atacou opositores “pessimistas” que criticam o desempenho econômico do governo federal. Dilma classificou as dificuldades da economia nacional como “desequilíbrios típicos de uma conjuntura internacional para todos os países”. Segundo a presidente, o Brasil “aumentou em 70% o poder de compra do salário mínimo com solidez de fundamentos macroeconômicos” e com “investimento central em pessoas”.

Continua após a publicidade

“Eles têm a cara de pau de dizer que o ciclo do PT acabou, que nós demos o que tínhamos de dar. São os mesmos que diziam que haveria uma debandada de empresários com eleição do ex-presidente Lula e que a cada crise dizem que o Brasil vai afundar”, disse Dilma. “O fim do mundo chegou, sim, mas chegou para eles.”

Leia também:

Eleições em SP: começa a batalha pelos votos do interior

Em campanha pelo interior, Padilha ouve críticas a Dilma e cita até Covas

Continua após a publicidade

Depois da presidente, Padilha foi quem ocupou o palanque por mais tempo e atacou a gestão do governador Geraldo Alckmin (PSDB). Padilha classificou o governo Alckmin de “lento”, “acomodado” e “sem coragem no combate ao crime”. Na semana passada, Thomaz Alckmin, filho do governador, foi alvo de uma tentativa de assalto. Dias depois, Padilha disse que a facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) era uma “criação dos 20 anos de governo do PSDB”, em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo.

“O PT vai ganhar a eleição em São Paulo”, disse Padilha. “E vai trazer a era republicana para a relação do Palácio dos Bandeirantes com os 645 municípios de São Paulo.”

Padilha disse que atenderá todos os prefeitos, sem discriminar partidos. Desde sexta-feira, o ex-ministro faz uma incursão em pré-campanha em busca de apoio de prefeitos – e de contato com eleitores – no interior do Estado. Ele interrompeu a caravana para participar do ato no Anhembi, Zona Norte da capital paulista.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.