Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

PSB: denúncias contra Bezerra não minam candidatura

Ministro da Integração Nacional quer se candidatar à prefeitura do Recife em 2012 e ao governo de Pernambuco em 2014

O PSB não jogou a toalha. Apesar da série de acusações que pesam contra o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra – como nepotismo e favorecimento de seu filho, Fernando Coelho Filho (PSB-PE), na liberação de emendas parlamentares – e do impasse com o PT em Recife, a pré-candidatura de Bezerra à prefeitura continua na mesa de discussões.

Os socialistas avaliam que a imagem de Bezerra não foi tão arranhada com as denúncias a ponto de inviabilizar as pretensões políticas do ministro no estado. E preferem ignorar o fato de que há pelo menos cinco investigações no Ministério Público abertas por causa dos episódios relacionados ao titular do Ministério da Integração.

Caciques da legenda acreditam que o fato de o ministro ter privilegiado seu estado, Pernambuco, na liberação de verbas para prevenção de desastres naturais pode, ao contrário, favorecer Bezerra. A estratégia de aproveitar o cargo de ministro para realizar grandes obras – tendo sempre em vista suas pretensões eleitorais – é avaliada como um trunfo para o partido.

Afinidades – Se eleito prefeito, Bezerra deve deixar o cargo para concorrer ao governo de Pernambuco em 2014. No entanto, ele deve primeiro esperar a posição final do PT sobre o assunto para saber se concorrerá ou não à prefeitura.

Os petistas ainda não decidiram qual candidato apoiar nas eleições 2012 em Recife. O prefeito da cidade, João da Costa (PT), quer tentar a reeleição, mas não tem boa avaliação entres os eleitores. Ex-prefeito da cidade, o deputado federal João Paulo Lima (PT) também é cotado e está disposto a levar o impasse ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “Estamos esperando que ele no chame”, disse Lima.

Bezerra pode abrir mão da candidatura dependendo da decisão do PT, mas a fatura será cobrada pelo PSB em outro município. “É uma via de duas mãos, não pode ser via única”, disse um socialista influente. O objetivo da legenda é não perder terreno no Nordeste e conquistar mais espaço no Sudeste. As prioridades do PSB são as prefeituras de Belo Horizonte e de Curitiba. Também são visadas as de João Pessoa, Natal e Macapá.

Disputa – Há quem acredite que a troca de farpas entre PT e PSB diante da crise envolvendo a gestão de Bezerra à frente da Integração Nacional tenha fortalecido a aliança entre os partidos. “A dificuldade e o medo fazem com que a gente se entenda melhor”, disse um político socialista.

Ainda assim, o PSB tem duas reclamações a fazer ao Palácio do Planalto. A primeira é sobre a especulação de que a Secretaria de Portos, comandada pelo socialista Leônidas Cristino, seria extinta. A presidente Dilma Rousseff até agora não se manifestou sobre o assunto.

A segunda é sobre Iberê Ferreira, ex-governador do Rio Grande do Norte pelo PSB. Ele foi indicado pelo partido ao cargo de superintendente da Sudene em fevereiro de 2011, mas até agora a Presidência não deu uma resposta sobre a nomeação.