Clique e assine a partir de 9,90/mês

Protesto contra Bolsonaro tem 112 pessoas detidas por aglomeração em Belém

Determinação estadual do Pará proíbe aglomeração com mais de dez pessoas

Por João Batista Jr. - 7 jun 2020, 18h02

O protesto a favor da democracia, contra o racismo e em repúdio a Jair Bolsonaro virou caso de polícia em Belém. Fazendo cumprir um decreto estadual do Pará que proíbe aglomerações com mais de dez pessoas por causa da pandemia de coronavírus, a Polícia Militar levou 112 manifestantes para a delegacia. Os jovens foram autuados na frente do Mercado São Brás, região central da cidade, de onde partiria a marcha pelas ruas da região.

Na porta da delegacia, os manifestantes alegaram tratar-se de uma detenção arbitrária. Muitos escreveram cartazes e gritaram palavra de ordem. Parte dos integrantes é ligado ao movimento Juventude do PSTU, que acionou um advogado para tratar do caso. Para a reprimir o protesto, a PM deslocou viaturas e cavalaria. Os manifestantes foram colocados em micro-ônibus.

Ato na frente da delegacia: PM não permitiu aglomerações Reprodução/VEJA

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, as revistas detectaram pessoas portando materiais explosivos, rojões, escudos, produtos inflamáveis, além de faca e trouxinhas com pólvora.

Publicidade