Preso, Garotinho segue para Campos

A prisão preventiva do ex-governador do Rio faz parte de investigação de compra de votos

Por Luísa Bustamante - Atualizado em 16 nov 2016, 16h45 - Publicado em 16 nov 2016, 14h52

Preso preventivamente na manhã desta quarta feira, o ex-governador do Rio, Anthony Garotinho, deixou a sede da Policia Federal no centro do Rio, seguiu para o Instituto Médico Legal, passou por exame de corpo de delito. Liberado em dez minutos, seguiu para o Aeroporto Santos Dumont, de onde viaja para Campos em um avião da PF.

Garotinho foi preso no apartamento da família no bairro do Flamegto, Zona Sul do Rio, por agentes da PF de Campos, onde é secretário da prefeita Rosinha Garotinho, sua mulher. A prisão preventiva é um desdobramento da Operação Chequinho, que apura a suspeita de compra de votos em Campos durante as eleições deste ano.

A deputada federal Clarissa Garotinho, filha do ex-governador, que participava de uma reunião da bancada fluminense com o governador Luiz Fernando Pezão, abandonou o encontro e foi para a sede da PF entregar documentos pessoais ao pai. Chorando, ela não deu declarações à imprensa.

Publicidade