Clique e assine a partir de 9,90/mês

Presidência do PT fala em ‘ataque à democracia’ e chama militantes às ruas

Nota divulgada pelo partido não faz menção às graves acusações que pesam contra o ex-presidente

Por Da Redação - 4 mar 2016, 13h53

A presidência nacional do PT divulgou nota nesta sexta-feira em que chama os militantes da sigla a “defender, ao lado de nossos aliados, nas ruas e nas instituições, as regras constitucionais e a inocência do ex-presidente Lula”. O petista é o principal alvo da 24ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada nesta manhã pela Polícia Federal. Ele foi conduzido à força para prestar depoimento e, então, dirigiu-se à sede do partido no centro da capital paulista.

O partido classifica a ação da PF como “um ataque à democracia e à Constituição”. “Trata-se de novo e indigno capítulo na escalada golpista que busca desestabilizar o governo da presidente Dilma Rousseff, criminalizar o Partido dos Trabalhadores e combater o principal líder do povo brasileiro”, diz o texto. Nem uma palavra, é claro, acerca das graves acusações que pesam contra o ex-presidente – inclusive a de que ele enriqueceu às custas do dinheiro desviado no esquema do petrolão.

Ao longo do texto, os ataques aos inimigos de sempre: a polícia, a Justiça e a imprensa. “Setores do aparato policial e judicial do Estado, mancomunados com grupos de comunicação e a oposição de direita, são o centro dirigente de uma operação destinada a subverter o resultado das urnas. O festival de investigações seletivas, vazamentos ilegais e atropelos de garantias individuais evidencia que a nação está sendo sangrada pela construção de um regime de exceção e arbítrio, sob o comando de forças conservadoras cujo único objetivo é voltar ao governo a qualquer custo. Estes mesmos grupos reacionários, no passado, recorriam aos quartéis. Agora aliciam inimigos da democracia nos tribunais, no Ministério Público e na Polícia Federal, estimulados e protegidos pela imprensa monopolista”.

E prossegue: “O ex-presidente Lula é o alvo maior de quem não aceita o processo de transformação iniciado em 2003, marcado pela mudança de vida e o crescente protagonismo dos trabalhadores da cidade e do campo. O Partido dos Trabalhadores, nesse momento de afronta ao sistema democrático e à soberania popular, reafirma a mobilização permanente da militância. Os petistas estão chamados a defender, ao lado de nossos aliados, nas ruas e nas instituições, as regras constitucionais e a inocência do ex-presidente Lula. Que não se iludam os pescadores das águas turvas do golpismo: o povo brasileiro, do qual o ex-chefe de Estado é seu filho mais ilustre, saberá resistir e derrotar as forças do ódio e do retrocesso”.

Publicidade