Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Major Olímpio, sobre disputa em SP: ‘Por exclusão, voto em França’

Eleito senador, político do PSL disse que "não sobe no palanque do PSDB" de João Doria

Por Estadão Conteúdo Atualizado em 10 out 2018, 15h16 - Publicado em 10 out 2018, 10h44

Principal aliado de Jair Bolsonaro (PSL) em São Paulo, o deputado federal Major Olímpio, presidente do partido no estado e eleito senador no domingo, disse que vai votar em Márcio França (PSB) no segundo turno da disputa pelo Palácio dos Bandeirantes. O adversário do atual governador de São Paulo será o tucano João Doria.

“Eu não alimento meu carrasco. Não subo no palanque do PSDB. Por exclusão, vou votar em Márcio França”, disse Olímpio nesta quarta-feira.

Ainda segundo o dirigente do PSL, o partido decidiu ficar neutro na disputa estadual e liberou seus militantes. “Não vamos entrar em lutas domésticas. O PSL liberou inclusive nos estados onde está no segundo turno. Nosso foco é a campanha do Jair Bolsonaro.”

  • Doria, por sua vez, já declarou voto em Bolsonaro no segundo turno da eleição presidencial, quando o candidato do PSL vai enfrentar Fernando Haddad (PT). No encontro da Executiva Nacional do PSDB na terça, o ex-prefeito de SP defendeu que o partido declarasse apoio ao capitão da reserva “para livrar do país do PT”. A sigla, porém, optou pela neutralidade.

    França

    Na manhã desta quarta-feira, França faz campanha em Suzano ao lado do presidente licenciado da Fiesp, Paulo Skaf (MDB), candidato derrotado do MDB ao governo paulista. O governador do PSB busca se aproximar do eleitorado de Bolsonaro, apesar de o seu partido ter optado por apoiar Haddad na disputa presidencial.

    Os diretórios do PSB em São Paulo e no Distrito Federal foram os únicos liberados de seguir a orientação nacional. O candidato do PSDB ao governo, João Doria, tenta colar em Márcio França o selo de “petista”, apesar de o PT não ter declarado apoio formal ao governador.

    Continua após a publicidade
    Publicidade