Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Políticos e 30.000 pessoas vão ao velório de Itamar Franco

Corpo ficará em Juiz de Fora até a manhã de segunda - quando será levado a Belo Horizonte, para um outro velório, com a presença da presidente Dilma

O velório reuniu num mesmo momento personagens marcantes do impeachment de Collor, em 1992, como o próprio protagonista do escândalo, Lindberg Farias, Pedro Simon e Renan Calheiros

O corpo do senador e ex-presidente Itamar Franco foi velado neste domingo na Câmara Municipal de Juiz de Fora. Ao chegar à cidade do interior de Minas Gerais, onde Itamar foi criado, no fim da manhã, o caixão coberto com as bandeiras brasileira e mineira foi recebido com aplausos pelas centenas de pessoas que esperavam em frente ao local para prestar suas homenagens. No decorrer do dia, autoridades e simpatizantes foram ao local. De acordo com a Polícia Militar, cerca de 30.000 pessoas tinham passado pelo velório até o fim da tarde. O velório foi estendido por toda a madrugada e o corpo segue para Belo Horizonte na segunda.

Três ex-presidentes participaram da cerimônia fúnebre na Câmara de Vereadores de Juiz de Fora: Luiz Inácio Lula da Silva, que foi aplaudido pela população ao chegar ao prédio, o senador Fernando Collor (PTB-AL), que foi vaiado, e o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). Os três se posicionaram ao lado do caixão de Itamar, acompanhados dos senadores Magno Malta (PR-ES), Renan Calheiros (PMDB-AL) e Lindberg Farias (PT-RJ), além do governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia (PSDB), e do ministro Aloizio Mercadante. O velório reuniu num mesmo momento personagens marcantes do impeachment de Collor, em 1992.

Itamar, que assumiu depois da queda de Collor, foi homenageado por Lindberg, que na época era presidente da UNE e ajudou a comandar as manifestações populares contra o então presidente. Também estava ali o senador Pedro Simon (PMDB-RS), um dos líderes do movimento pró-impeachment no Congresso Nacional. O vice-presidente Michel Temer também esteve presente e classificou Itamar como um político exemplar. “Foi um exemplo de dignidade, de coerência ao longo da vida, especialmente em matéria administrativa e política. É um exemplo para todos nós que fazemos a vida pública.” Temer destacou o sucesso do Plano Real.

Cremação – Os primeiros dez minutos do velório ficaram reservados à família. O corpo de Itamar segue na manhã de segunda para Belo Horizonte, onde será cremado, após um novo velório no Palácio da Liberdade, na capital mineira. É ali que que a presidente Dilma Rousseff deve prestar sua homenagem. O ex-presidente morreu na manhã do último sábado, no Hospital Israelita Albert Einstein, na capital paulista, em decorrência de um acidente vascular cerebral. Ele estava internado na UTI, respirando por meio de aparelhos. Desde maio, estava sendo tratado de uma pneumonia decorrente de leucemia aguda. Itamar Franco tinha 81 anos.

Itamar era vice e assumiu a Presidência da República após a renúncia de Collor. Ele foi um dos mais destacados e comentados políticos mineiros das últimas décadas. Mesmo entre os seus críticos, o ex-presidente costumava ser reconhecido por sua retidão ética. Igual reconhecimento ele sempre cobrou em relação ao legado da estabilidade do país, devido à transição bem-sucedida que realizou após o desastroso desfecho da gestão Collor. Outro mérito de Itamar foi o lançamento do Plano Real, em 1994. Ele também foi governador do estado de Minas Gerais entre 1999 e 2003 e foi eleito senador em 2010 com mais de 5 milhões de votos.