Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Pivô de crise, Moro vai aos Estados Unidos, mas não divulga a sua agenda

Como ministro de Estado, ele deve informar via assessoria ou no site do ministério quais e quando são seus compromissos oficiais ao longo de cada dia

Por Da Redação - Atualizado em 25 jun 2019, 16h36 - Publicado em 25 jun 2019, 15h37

O ministro da Justiça, Sergio Moro, pivô de polêmica envolvendo diálogos dele com o procurador Deltan Dallagnol, está nos Estados Unidos, mas não divulgou os detalhes de sua agenda pública no país. Como ministro de Estado, ele deve informar via assessoria ou no site do ministério quais e quando são seus compromissos oficiais ao longo de cada dia.

É a terceira vez que o ex-juiz da Lava Jato em Curitiba vai aos EUA como ministro. Nas duas anteriores, acompanhando o presidente Jair Bolsonaro no Texas e, anteriormente, nos encontros no Fundo Monetário Internacional (FMI), em Washington, a agenda foi divulgada com antecipação.

​Moro chegou aos EUA no sábado 22, mas somente ao fim de cada dia a agenda é preenchida. A pasta informa que o ministro fica até o fim da quarta-feira, 26, em solo americano. Mas não antecipou o que fará lá nesta terça e no dia seguinte.

O ministro adiou a participação dele em audiência na Câmara prevista para esta quarta, 26, em decorrência da viagem. Durante a sessão, o ministro prestaria esclarecimentos sobre os diálogos com Dallagnol revelados nas últimas semanas pelo site The Intercept Brasil.

Publicidade

Na semana passada, um texto sobre a missão de Moro nos Estados Unidos foi publicado no site do ministério, com “o intuito de reunir experiências e boas práticas para fortalecer operações integradas no Brasil”.

Entre os compromissos, estavam uma patrulha na fronteira com o México em El Paso, no Texas, e visitas à Divisão de Operações Especiais da DEA (Drug Enforcement Administration) e ao Centro Internacional de Operações e Inteligência de Anti-Crime Organizada (IOC-2).

Junto com Moro estão o diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, o diretor executivo da Polícia Rodoviária Federal, José Lopes Hott Junior, e o diretor de Investigação e Combate ao Crime Organizado, Igor Romário de Paula. A agenda dos demais integrantes da comitiva também não foi divulgada.

Deltan Dallagnol

Outro pivô da polêmica dos diálogos divulgados pelo site The Intercept Brasil, o chefe da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, Deltan Dallagnol, também estava na América do Norte, mas no Canadá, segundo informou o Ministério Público Federal (MPF) do Paraná.

Publicidade

O procurador tirou férias com a família e viajou ao exterior no último dia 9. Voltou neste fim de semana, e trabalha desde a segunda-feira 24 na Procuradoria.

Publicidade