Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

PF deflagra Operação Greenwich, 52ª fase da Lava Jato

Investigações apuram fraudes em licitações de subsidiárias da Petrobras, como a Petroquisa. Dois suspeitos foram presos na ação

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta quinta-feira, 21, a Operação Greenwich, 52ª fase da Operação Lava Jato. As investigações miram crimes contra subsidiárias da Petrobras, como a Petrobras Química S/A – Petroquisa.

Quarenta policiais federais cumprem 11 ordens judiciais – um mandado de prisão preventiva, um mandado de prisão temporária e nove mandados de busca e apreensão. As medidas estão sendo cumpridas nas cidades do Rio de Janeiro, Recife e Timbaúba (PE).

Em nota, a PF afirma que “o esquema criminoso identificado em várias oportunidades em contratações da Petrobras se repetiu também em suas subsidiárias. As informações e provas reunidas até o momento demonstram que o Grupo Odebrecht foi favorecido na obtenção de contratos, em troca de repasses de recursos a funcionários da empresa, quer seja através da entrega de valores em espécie, quer seja através de remessas para contas bancárias estabelecidas no exterior”, informa a PF.

“As contratações eram direcionadas com o estabelecimento de parâmetros que só poderiam ser atendidos por empresas do Grupo Odebrecht”, diz a corporação.

O nome atribuído à operação policial, Greenwich, remete a uma das contas bancárias mantidas no exterior e destinada ao recebimento de propinas transferidas pela Odebrecht a funcionários de subsidiárias da Petrobras em troca da “defesa” de interesses da empreiteira nas contratações.

As investigações apontam para a prática de diversos crimes, como fraude em licitações, corrupção, crimes financeiros e lavagem de dinheiro.

Os presos serão levados para a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde ficarão à disposição do juiz federal Sergio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato no Paraná.