Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Petistas rejeitam aliança com Kassab em SP

Prefeito da capital paulista foi vaiado na festa dos 32 anos do PT

Se depender da militância petista, o partido não fará aliança com o PSD para a disputa à prefeitura de São Paulo. A rejeição à legenda foi demonstrada com uma sonora vaia a Gilberto Kassab (PSD), prefeito da capital paulista, no evento em comemoração aos 32 anos do PT. Ele sentou-se à mesa principal do evento, na qual também estava Fernando Haddad, pré-candidato à prefeitura de São Paulo.

O presidente do PT, Rui Falcão, tentou amenizar as críticas a Kassab dizendo que os partidos aliados precisam se unir nas eleições de 2012 para evitar a vitória da oposição. Falcão não citou diretamente o PSD. Segundo ele, o PT não fará aliança – em nenhum município – com o PPS, o DEM e o PSDB. Ele pediu que, acima da disputa eleitoral, a base de apoio ao governo se una na esfera federal. “As disputas locais passam e as cicatrizes se fazem logo em seguida”, disse.

A senadora Marta Suplicy (PT-SP), que também não aceita a coligação com o PSD, faltou ao evento, mas mandou uma carta – que foi lida pelo cerimonial. “É fundamental seguirmos avançando nas conquistas sociais sem abrir mão dos nossos princípios”, escreveu. O recado, claro, foi para o PT de São Paulo. Ressentida com a legenda, Marta ainda não se empenhou na campanha de Haddad.

A presidente Dilma Rousseff não citou o PSD e também evitou criar expectativas sobre sua eventual participação na campanha eleitoral deste ano. Dilma tem dito a interlocutores que não subirá em palanque onde partidos da base não estiverem na mesma coligação. A presidente falou sobre os compromissos de seu governo e saudou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que se ausentou por causa do tratamento que faz contra um câncer na laringe.

Lula mandou um recado aos militantes, lido pelo presidente do PT: “Meu tratamento de saúde entrou na etapa final e tenho que manter rigorosa disciplina para que a cura seja completa e eu volte o mais rápido possível à militância social e política que tanto nos apaixona e mobiliza”.

O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, fez uma saudação ao ex-presidente, em discurso: “Lula merece nossa homenagem, nossa torcida, nosso desejo de plena recuperação”. O ex-ministro e mensaleiro José Dirceu também participou do evento.