Clique e assine a partir de 9,90/mês

Petistas criticam Rui Costa e defendem estratégia eleitoral e ‘Lula livre’

Em entrevista a VEJA, governador da Bahia diz que defesa da liberdade do ex-presidente não deve impedir a formação de alianças; leia a repercussão

Por Da Redação - Atualizado em 14 set 2019, 14h52 - Publicado em 14 set 2019, 14h40

Lideranças petistas reagiram na sexta-feira 13 e neste sábado, 14, à entrevista do governador da Bahia, Rui Costa (PT), publicada na edição desta semana de VEJA. O petista criticou a estratégia adotada pela legenda na eleição de 2018 – e a opção pela candidatura de Fernando Haddad -, se colocou como pré-candidato à Presidência da República nas eleições de 2022, conclamou uma aliança esquerdista para pensar um projeto de país em oposição ao governo de Jair Bolsonaro e disse que o partido não deve impor a bandeira “Lula livre” nas discussões de alianças com outros partidos.

Padrinho político de Rui Costa e seu antecessor no governo da Bahia, o senador Jaques Wagner (PT) defendeu as candidaturas de Lula e Haddad em 2018.  “É um nome bem avaliado (Rui Costa), mas repare: dentro do nosso partido eu ainda tenho esperança que Lula possa sair e se credenciar (à disputa eleitoral), obviamente quando se reconhecer que o processo dele não foi legítimo, que ele não teve um julgamento equilibrado e justo. Então, eu diria que ele é hors concours, se tiver oportunidade. Tem Fernando Haddad, que foi candidato e, portanto, já tem o nome colocado. Mas o nome de Rui é um nome que entra em qualquer lista”, disse Wagner ao site BNews durante participação em um encontro de prefeitos na Bahia. 

O deputado federal José Guimarães (PT-CE) recorreu à sua página no Twitter para também defender a pré-candidatura de Lula. “O Lula foi, é e será sempre nossa maior liderança na condução de nosso partido. Um preso político condenado injustamente”, escreveu. 

Reprodução/Reprodução

Já o deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS), líder do partido na Câmara, foi além da bandeira “Lula livre”: disse que, se o ex-presidente conseguir anular a sua condenação na Operação Lava Jato, será o candidato petista à Presidência da República em 2022,

Continua após a publicidade
Reprodução/Reprodução

Florisvaldo Raimundo, membro do Diretório Nacional do PT, disse que o governador da Bahia “errou feio” na entrevista.

Reprodução/Reprodução

 

A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, afirmou que a liberdade de Lula interessa não só ao PT, mas a toda a esquerda.

Continua após a publicidade
Reprodução/Reprodução

O governador Rui Costa usou a mesma rede social para responder, embora de forma velada, às críticas. “O Brasil precisa voltar a crescer, gerando emprego e renda para o povo. Não dá pra ficar só na negativa, temos que pensar soluções. Bom dia e bom fim de semana”, escreveu. 

Publicidade