Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Pesquisa: 72,7% reprovam indicação de Eduardo Bolsonaro à embaixada

Levantamento CNT/MDA aponta que, para os entrevistados, presidente não deveria nomear membros de sua família para cargos deste tipo

A intenção do presidente Jair Bolsonaro de indicar o seu filho, deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), ao posto de embaixador do Brasil em Washington (EUA) é reprovada por 72,7% dos brasileiros, de acordo com a pesquisa CNT/MDA, divulgada nesta segunda-feira, 26. Para eles, é inadequada a indicação, pois o chefe do Poder Executivo não deveria nomear membros de sua família para cargos deste tipo.

O percentual de pessoas que aprovam a indicação de Eduardo para a embaixada é de 21,8%, com a justificativa de que o presidente tem a prerrogativa de indicar qualquer pessoa para esse cargo. Outros 5,5% não souberam ou não quiseram responder.

Ao responder a pergunta sobre quais foram as piores ações do presidente nesse início de mandato, 24,4% dos entrevistados aprontaram a liberdade dada pelo presidente a seus filhos para se intrometerem em assuntos de governo – ficou em quarto lugar, atrás apenas da flexibilização do posse e porte de armas (39,1%), do uso de palavras ofensivas e comentários inadequados (30,6%) e do contigenciamento de verbas da educçaão (28,2%).

A pesquisa também constatou que 53,7% reprovam o desempenho pessoal do presidente (41% aprovam e 5,3% não souberam ou não responderam). Indagados sobre a avaliação do governo, apenas 6% classificaram o desempenho como ótimo – 26% classificaram como bom, 35,4%, regular, 11,2%, ruim, e 15,5%, péssimo.

Reportagem de capa de VEJA desta semana traz um levantamento exclusivo, encomendado ao Instituto FSB, que revela o que o brasileiro pensa sobre o governo Bolsonaro. A maioria da população gosta e confia no presidente, mas reprova o excesso de propostas polêmicas e o grande número de caneladas verbais.

Relação com o Congresso

A pesquisa CNT/MDA também avalia a relação de Bolsonaro com o Congresso Nacional. Na opinião de 55,6% dos entrevistados, o presidente não consegue se “articular politicamente” para aprovar projetos do interesse de sua administração. A condução política do pesselista é aprovada por 31,6%, enquanto outros 12,8% não souberam ou não responderam.

Foram realizadas 2.002 entrevistas, entre os dias 22 e 25 de agosto, em 137 municípios de 25 estados. A margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos porcentuais.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Paulo Bandarra

    Bolsonaro irá dizer se 72,7 reprovam então ele está certo.

    Curtir

  2. Paulo Bandarra

    As conversas pela manhã na saída do Palácio mostram o quão raso é o seu raciocínio. Sem noção.

    Curtir