Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Palocci prestou serviço a banco parceiro da União

O ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, prestou serviços para o Banco Santander no período em que era deputado federal. O contrato foi feito por meio da sua empresa Projeto Consultoria Econômica e Financeira para “análises econômicas e financeiras” a executivos do banco. A informação foi confirmada ao jornal O Estado de S. Paulo pelo próprio Santander. É a primeira instituição bancária a revelar publicamente a contratação de Palocci, que foi ministro da Fazenda no primeiro mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Em nota enviada ao jornal, a assessoria do Santander informa que contratou Palocci para dar palestras sobre economia aos seus executivos. “O Santander Brasil informa que contrata eventualmente palestrantes para apresentar análises econômicas e financeiras, nacionais e internacionais, aos seus funcionários. Dentro deste contexto, o sr. Antonio Palocci, por meio da empresa Projeto, fez palestras para grupos de executivos da organização.”

O Santander é parceiro do governo federal. Em agosto de 2010, o banco comprou seis jatos da Embraer via Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), vinculado ao governo, para alugar à empresa aérea Azul numa operação inédita de financiamento.

Procurado pela reportagem, o ministro, por intermédio de sua assessoria de imprensa, disse que não comentaria sobre os serviços prestados ao Santander. Na sexta-feira, o jornal O Estado de S. Paulo informou que Palocci prestou serviços para pelo menos 20 empresas, incluindo bancos, indústrias e montadoras. Desde a revelação de que seu patrimônio cresceu pelo menos 20 vezes em quatro anos, Palocci tem-se negado a revelar a relação de clientes. Diz que cláusulas de confidencialidade o impedem de contar para quem trabalhou.

A empresa de Palocci teve faturamento recorde entre os meses de novembro e dezembro de 2010, ano eleitoral. O ministro foi coordenador da campanha de Dilma Rousseff. No ano passado, o Santander doou 1 milhão de reais para a campanha de Dilma, 1 milhão de reais para o rival da petista, José Serra (PSDB), e 800.000 reais para o PMDB.

(Com Agência Estado)