Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Pai de Rodrigo Maia diz que poderá disputar governo do Rio

Cesar Maia, atual vereador e ex-prefeito da capital, confirmou a VEJA a intenção de concorrer ao Palácio Guanabara no ano que vem

Por Cássio Bruno 23 jul 2021, 18h26

O vereador do Rio de Janeiro, Cesar Maia (DEM), de 76 anos, afirmou nesta sexta-feira, 23, a sua intenção de concorrer ao governo do estado. Em entrevista a VEJA, o ex-prefeito, pai do deputado federal Rodrigo Maia (sem partido), disse que a possibilidade foi discutida com seu grupo político. A expectativa até então era de que Cesar disputasse a única vaga para o Senado nas eleições de 2022. Recentemente, seu filho foi expulso do DEM após desentendimento com o presidente nacional do partido, Antônio Carlos Magalhães Neto.

– Vou aguardar as pesquisas (de intenção de voto). O cenário para governador me parece mais claro – disse Cesar Maia. Perguntado sobre seu mote de campanha, o vereador respondeu: “(geração de) emprego e renda”. O ex-prefeito, no entanto, ainda não sabe por qual partido disputaria o Palácio Guanabara. “É uma decisão recente (sobre disputar o governo). A partir de agora, virão os detalhes”, acrescentou.

Rodrigo Maia, por enquanto, não se filiou a nenhuma legenda, mas o próprio deputado declarou às Páginas Amarelas de VEJA, em 1º de julho, que a tendência é ir mesmo para o PSD, onde já estão seus aliados, como o prefeito Eduardo Paes. Em maio, Paes manifestou simpatia à pré-candidatura ao governo de Felipe Santa Cruz, presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). O dono do PSD é Gilberto Kassab, ex-prefeito de São Paulo. 

Em 2018, Cesar Maia perdeu a eleição para o Senado. Ele liderava todas as pesquisas. Na reta final da apuração dos votos, porém, foi ultrapassado por Arolde de Oliveira, eleito para o cargo junto com Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ), filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Arolde, que morreu de Covid-19, tinha o apoio do clã Bolsonaro. Naquele ano, eram duas vagas. Em 2020, Cesar se reelegeu vereador pela terceira vez. O parlamentar foi prefeito do Rio por 12 anos (de 1993 a 1996 e de 2001 a 2008). 

Em 2012, Cesar surpreendeu ao se aliar a um antigo desafeto, o ex-governador Anthony Garotinho. Os dois lançaram os filhos para concorrer à prefeitura. Rodrigo Maia foi o cabeça de chapa e, Clarissa Garotinho, hoje deputada federal, foi a vice. Rodrigo ficou em terceiro lugar, com 2,94% dos votos. Paes venceu.

Caso Cesar Maia entre mesmo no tabuleiro eleitoral para tentar assumir o governo fluminense, ele terá como possível adversário o atual governador Cláudio Castro (PR), que quer a reeleição. Castro sonha em ter o apoio de Bolsonaro e vem fazendo uma série de inaugurações para ficar mais conhecido da população. Ele assumiu a cadeira após o ex-governador Wilson Witzel (PSC) sofrer impeachment por suspeita de corrupção na área da Saúde durante a pandemia.

O deputado federal Marcelo Freixo também já expôs a vontade de ser governador, como ele revelou com exclusividade a VEJA em 11 de julho. Freixo deixou o PSOL e desembarcou no PSB por acreditar ter mais chances de fazer alianças partidárias e também de atrair o eleitorado do estado que rejeita o seu antigo partido. Outro que demonstra interesse é o ex-prefeito de Niterói Rodrigo Neves (PDT). 

Continua após a publicidade
Publicidade