Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Padilha lidera gastos com campanha em SP: R$ 33,1 mi

Petista, porém, só arrecadou R$ 188 mil reais. Juntos, Alckmin, Skaf e Padilha gastaram R$ 41,6 milhões

Os três candidatos ao governo do Estado de São Paulo mais bem colocados nas pesquisas eleitorais – Geraldo Alckmin (PSDB), Paulo Skaf (PMDB) e Alexandre Padilha (PT) – já gastaram juntos 41,6 milhões de reais nessa primeira etapa de campanha. O petista, que tem atualmente o pior desempenho nas pesquisas, com apenas 5% das intenções de votos, segundo o Ibope, foi o campeão de gastos: 33,1 milhões de reais. O montante é muito superior ao arrecadado por ele no período: 188.189,97 reais. Os dados foram publicados na noite desta quarta-feira pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Leia também:

Dilma arrecadou R$ 9,6 milhões, e Aécio, R$ 8,1 milhões

Entre as principais doações de recursos recebidas por Padilha está a direção nacional do PT, que ainda tenta fazer deslanchar a candidatura do ex-ministro. O total doado pelo partido ao candidato chega a 89.000 reais. Na parte de despesas, a campanha de Padilha mostra um intensivo gasto em publicidade e comunicação. De acordo com a declaração publicada pelo TSE, 25 milhões de reais foram gastos em produção de programas de rádio, televisão ou vídeo.

O atual governador e candidato à reeleição Geraldo Alckmin declarou exatamente o mesmo valor para receitas e despesas: 5.738.135,08 reais. Todas as doações de Alckmin estão discriminadas como oriundas do Comitê Financeiro Distrital/Estadual para Governador. O tucano tem hoje 50% das intenções de voto, de acordo com o Ibope.

Já o candidato do PMDB, que hoje aparece com 11% das intenções de voto, de acordo com a prestação de contas, ainda tem dinheiro em caixa para usar. Isso porque declarou receitas de 4,3 milhões de reais e um total de despesas de 2,7 milhões de reais.

A prestação de contas divulgada nesta quarta é apenas uma primeira parcial. Uma segunda etapa será anunciada no dia 6 de setembro, sendo que os concorrentes precisam entregar os dados entre 28 de agosto e 2 de setembro. A prestação de contas final deve ser entregue pelos candidatos até o dia 4 de novembro, 30 dias após as eleições. Para os candidatos que concorrerem ao segundo turno, a prestação de contas referente aos dois turnos deverá ser entregue até o dia 25 de novembro.

(Com Estadão Conteúdo)