Clique e assine a partir de 9,90/mês

Oposição tenta compensar na internet falta de tempo na TV

No programa eleitoral gratuito que tem início nesta terça-feira, prefeito Eduardo Paes tem mais tempo do que todos os seus adversários juntos: mais de 16 minutos

Por Pollyane Lima e Silva, do Rio de Janeiro - 21 ago 2012, 10h23

A partir desta terça-feira, os candidatos a prefeito do Rio passam a ter a TV e o rádio como plataformas de propaganda, com o início do horário eleitoral gratuito. Os aspirantes ao Palácio da Cidade têm pela frente, além do favoritismo do prefeito que tenta a reeleição, a barreira do tempo. Eduardo Paes (PMDB) terá 16m17s92 para defender seu governo e a continuidade. E os desafiantes Marcelo Freixo (PSOL), Otávio Leite (PSDB), Rodrigo Maia (DEM) e Aspásia Camargo (PV), juntos, têm cerca de 10 minutos. O cenário pouco favorável para os rivais do prefeito transforma a TV em uma espécie de convocação para conhecer mais sobre os candidatos e programas em outra tela, a do computador.

“Apesar do pouco tempo, o programa na TV será o ponto de partida da interação com o eleitorado. que continua na internet. O site e os perfis nas redes sociais serão devidamente aproveitados para favorecer a expansão da campanha a partir do horário eleitoral”, informa a assessoria de Marcelo Freixo, que está em segundo lugar nas intenções de voto segundo pesquisa Datafolha e terá 1m22s02 de tempo em rádio e televisão. De acordo com o mesmo levantamento, 50% dos eleitores dizem não conhecer o deputado estadual. Por isso, suas primeiras aparições devem se preocupar em apresenta-lo. “Mostraremos um pouco da rotina dele, da família e do trabalho. A gente vê esse índice como oportunidade de crescer.”

A equipe de campanha do terceiro colocado nas pesquisas, Rodrigo Maia, diz estar criando até conteúdos exclusivos do candidato para divulgação na web. O deputado federal que terá 3m35s35 na propaganda televisionada diz que tentará encaixar nesse espaço, desde os primeiros momentos, suas propostas para melhorar a cidade. “Será, definitivamente, um programa de proposições”, anuncia.

Personalidades – Otávio Leite, do PSDB, aposta nos grandes nomes do partido para alavancar sua candidatura. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso será o encarregado de apresentar o deputado federal, que terá um tempo total de 3m18s98. “FHC vai abrir o programa, apresentando o Otávio como uma excelente opção para o Rio e afirmando: ‘Fizemos a coisa certa ao escolher alguém que conhece a cidade de verdade'”, adianta o produtor de TV e coordenador de mídia do candidato, Julio Uchôa.

Continua após a publicidade

Quem também tenta se vincular a figuras mais conhecidas é Aspásia Camargo, em seu tempo de 1m40s73 de programa no rádio e na TV. Mesmo sem declarar apoio à candidata em depoimentos personalizados, a ex-ministra Marina Silva e o ex-deputado Fernando Gabeira são presenças garantidas. “É importante situar a Aspásia na história de lutas e de ação do PV no Rio de Janeiro, para isso passamos obrigatoriamente por Marina e Gabeira”, explica Moacyr Góes, diretor de cinema e teatro que será responsável pela produção ‘verde’.

Prefeito – A uma distância ainda segura dos demais candidatos – que, somados, representam apenas 21% das intenções de votos -, o prefeito Eduardo Paes terá tempo suficiente para criar. A equipe com cerca de cem profissionais para cuidar da TV trabalha para exaltar as obras de seu mandato, como a inauguração do BRT Transoeste, obra que servirá para a Olimpíada de 2016. “Nosso programa será baseado em histórias reais de cariocas, para mostrar que a cidade está mais unida. E o Eduardo Paes vai conduzir o programa destacando que o Rio vive um momento particular”, conta Renato Pereira, coordenador de comunicação, que se diz satisfeito com os mais de 16 minutos disponíveis. “Esse tempo facilita bastante para abordarmos esse conjunto de investimentos grande que a cidade recebe atualmente e resulta em uma diversidade de projetos.”

LEIA TAMBÉM:

O que o debate diz sobre os candidatos do Rio

Continua após a publicidade

Rodrigo Maia já gastou nove vezes mais do que arrecadou

A hora da verdade para o PV no Rio

No Rio, corrida eleitoral começa na esteira

Publicidade