Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Oposição acusa base de Temer de articular anistia ao caixa 2

Oposicionistas rebatem o anúncio do presidente de que o governo não dará apoio à anistia e dizem que a proposta foi gestada pelos próprios aliados de Temer

Por da Redação Atualizado em 27 nov 2016, 18h03 - Publicado em 27 nov 2016, 18h01

A oposição reagiu hoje às declarações do presidente Michel Temer de que não haverá apoio por parte do governo a qualquer iniciativa para aprovar eventual anistia a caixa 2 de campanhas eleitorais na votação do pacote anticorrupção. “As duas recentes tentativas de aprovação de anistia ao caixa 2 são de responsabilidade exclusiva da base de apoio a Temer”, acusou o líder do PT na Câmara, Afonso Florence (BA).

Em nota, o petista afirma que, às vésperas de sair o acordo de delação premiada da empreiteira Odebrecht, a base governista intensificou o movimento para aprovar a medida e que, diante do desgaste, tentou compartilhar a aprovação da proposta com o PT.

A líder da minoria na Câmara, Jandira Feghali (PCdoB-RJ), chamou de “espetáculo lamentável” a entrevista coletiva de Temer, na qual o presidente deu sua versão sobre o episódio envolvendo os ex-ministros Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo) e Marcelo Calero (Cultura). A deputada avisou que a partir de amanhã, dia 28, a oposição vai tomar “medidas concretas para enfrentar esse governo que se auto-aniquila a cada dia”. Os oposicionistas afirmam que o presidente da República cometeu crime de responsabilidade por ter atendido a “interesses privados” do ex-ministro.

Outro partido da oposição, o Psol, já anunciou que vai protocolar pedido de impeachment de Temer na Câmara nesta segunda-feira, baseado na suposta pressão exercida pelo presidente sobre o ex-ministro da Cultura Marcelo Calero.

(com Estadão Conteúdo)

 

Continua após a publicidade
Publicidade