Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Ônibus voltam a circular no Rio, mas greve continua

Assembleia que definirá o futuro da greve iniciada na sexta-feira, é antecipada, e reunião que estava marcada para segunda-feira será realizada neste domingo

Por Da Redação 2 mar 2013, 16h49

Depois de um dia caótico, com longas filas nos pontos de ônibus e trabalhadores pendurados nos poucos coletivos que circulavam, os moradores do Rio que precisaram usar transporte público não enfrentaram problemas neste sábado. Segundo a Secretaria Municipal de Transportes, os rodoviários em greve começaram a cumprir a ordem judicial de manter 80% da frota em atividade.

A assembleia do Sindicato dos Trabalhadores de Transportes Urbanos, que definirá o futuro das negociações sobre a greve, foi antecipada. A reunião, marcada inicialmente para segunda-feira, ocorrerá na manhã deste domingo. A categoria dá indícios de que a greve poderá não se estender por muitos dias. O sindicato havia pedido 23% de reajuste, mas já anuncia que se os patrões acenarem com 15%, e não os 8% oferecidos inicialmente, sentará para negociar.

Na manhã deste sábado, o prefeito Eduardo Paes criticou os atos de vandalismo registrados sexta-feira, quando ônibus foram apedrejados, e motoristas, constrangidos a aderir à greve. Durante visita ao Museu de Arte do Rio (MAR), recém-inaugurado, Paes disse que “trabalhador não pode prejudicar trabalhador e sindicato não pode ser sinônimo de vândalos”.

O prefeito disse que está acompanhando a movimentação dos ônibus. E criticou também a atuação de algumas vans, que segundo ele chegaram a cobrar 25 reais por passageiro. “É inaceitável que a população não tenha atendimento adequado e que não se cumpra ordem judicial. Não pode haver delinquentes que impeçam o cumprimento de uma determinação judicial. Se isso acontecer, tem que ser preso”, disse ele.

LEIA TAMBÉM:

No aniversário do Rio, motoristas de ônibus fazem greve

Continua após a publicidade
Publicidade