Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Ofensas, ameaças, impeachment: o bolsonarismo reage a Alexandre de Moraes

Ativista Sara Winter diz em vídeo que quer ‘trocar socos’ com o ministro do STF; Eduardo Bolsonaro afirma que está chegando o ‘momento de ruptura no Brasil’

Por Da Redação Atualizado em 28 Maio 2020, 11h20 - Publicado em 28 Maio 2020, 10h37

Os apoiadores do presidente Jair Bolsonaro reagiram com ataques e ameaças à operação da Polícia Federal (PF) que cumpriu, na quarta-feira 27, mandados de busca e apreensão no âmbito da investigação que apura disseminação de notícias falsas e ataques a ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e seus familiares.

Deputado federal e filho do presidente, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) afirmou, em uma live ao lado do blogueiro Allan dos Santos e da deputada federal Bia Kicis (PSL-DF), ambos investigados pela disseminação de notícias falsas, que participa de reuniões nas quais se discute “quando” haverá um “momento de ruptura no Brasil”.

ASSINE VEJA

Coronavírus: ninguém está imune Como a pandemia afeta crianças e adolescentes, a delação que ameaça Witzel e mais. Leia na edição da semana
Clique e Assine

“Não tenho nem dúvida de que amanhã vai ser na minha casa [que cumprirão mandado de busca e apreensão], que se tivermos uma posição colaborativa com o Supremo, vão entrar na nossa casa, dando risada. Até entendo que há uma postura moderada, vamos dizer, para não tentar chegar a momento de ruptura, a momento de cisão ainda maior, conflito ainda maior. Mas, falando abertamente, opinião de Eduardo Bolsonaro, não é mais opção de se, mas, sim, de quando isso [momento de ruptura] vai ocorrer”, afirmou. Na sequência, Eduardo disse que “discute esse tipo de coisa porque a gente estuda história”.

Líder do acampamento radical denominado “Os 300 do Brasil”, a ativista bolsonarista Sara Winter, alvo da operação da PF, gravou um vídeo no qual ameaça o ministro Alexandre de Moraes, que comanda o inquérito.

“Pena que ele [Moraes] mora em São Paulo, porque se estivesse aqui [em Brasília], eu já estava lá, na porta da casa dele, convidando ele para trocar socos comigo. Juro por Deus, essa é a minha vontade. Eu queria trocar socos com esse filho da p*”, diz na publicação. “Você me aguarde, Alexandre de Moraes, o senhor nunca mais vai ter paz. Vamos infernizar a tua vida, vamos descobrir os lugares que o senhor frequenta, quem são as empregadas domésticas que trabalham para o senhor. Vamos descobrir tudo da sua vida, até o senhor pedir para sair. Hoje o senhor tomou a pior decisão da vida do senhor”, acrescenta.

Continua após a publicidade

Em seu perfil no Twitter, o blogueiro Allan dos Santos retuitou uma publicação, em forma de montagem, na qual ele está em frente ao STF fazendo gestos obscenos com uma das mãos. “Obrigado pela propaganda que a censura de hoje nos fez, STF. Terça Livre [portal administrado pelo blogueiro] disparando na audiência”, diz o post. Na live, ao lado de Eduardo Bolsonaro, Allan disse que o ministro Alexandre de Moraes era “moleque”.

  •  

    Na tarde desta quarta-feira, Bia Kicis (PSL-DF) publicou em sua conta no Twitter que havia protocolado no Senado o pedido de impeachment do ministro Alexandre de Moraes. A petição também é assinada pelos deputados federais Carlos Jordy (PSL-RJ) e Filipe Barros (PSL-PR) -este último também investigado no inquérito.

    “Agora é preciso pressionar o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP)”, diz o post. Como mostrou o Radar, Kicis publicou, na noite da terça-feira 26, um vídeo com insultos ao decano da Corte, ministro Celso de Mello, que comanda outro inquérito, o que apura suposta interferência de Jair Bolsonaro na Polícia Federal. “Eu estou usando a minha imunidade parlamentar para falar a verdade. Juiz de merda!”, dispara no vídeo.

    Continua após a publicidade
    Publicidade