Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Grupo Odebrecht pagou US$ 1 bi em propina em doze países

Revelação foi feita pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos, que assinou hoje acordos de leniência com a Odebrecht e a Braskem

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos informou que a Odebrecht e a Braskem pagaram mais de 1 bilhão de dólares em propina em mais de 100 projetos conduzidos em doze países. A cifra consta de um documento divulgado nesta quarta-feira pela órgão americano, que assinou acordos de leniência com as duas empresas numa negociação que também envolveu as procuradorias do Brasil e da Suíça. Pelos acordos, as companhias admitiram ter participado de esquemas de corrupção ao redor mundo e se comprometeram a pagar 3,5 bilhões de dólares aos três países. Com isso, elas se livram de ações judiciais em curso ou que podem vir a ser abertas no futuro.

Além do Brasil, a Odebrecht pagou vantagens ilícitas em empreendimentos de Angola, Argentina, Colômbia, República Dominicana, Equador, Guatemala, México, Moçambique, Panamá, Peru e Venezuela (confira o gráfico abaixo). Os pagamentos teriam sido feitos entre 2001 e 2016. De acordo com o documento, a empreiteira desembolsou a título de propina 439 milhões de dólares no exterior e 349 milhões de dólares no Brasil. Como contrapartida, a companhia teria sido beneficiada com contratos de 3,3 bilhões de dólares como “resultado dos esquemas de corrupção”. A Braskem, que é controlada pela Odebrecht em parceria com a Petrobras, admitiu ter desembolsado sozinha cerca de 250 milhões de dólares em dinheiro sujo.

Os pagamentos usados para corromper autoridades brasileiras e estrangeiras eram feitos por meio do Departamento de Operações Estruturadas da Odebrecht, setor que a Operação Lava  Jato concluiu ter sido criado para distribuir dinheiro sujo a mando das empresas que formam o conglomerado. De acordo com o órgão americano, os recursos que passavam pelo setor de Operações Estruturadas eram pulverizados para uma série de offshores com o intuito de dificultar o rastreamento do fundo original dos montantes e os destinatários finais da propina.

“A Odebrecht e seus co-conspiradores fundaram e criaram uma estrutura secreta financeira que operou para contabilizar e desembolsar pagamentos de propina em benefício de políticos, partidos e candidatos”, diz o texto.

Dos cerca de 250 milhões de dólares em propina pagos pela Braskem, aproximadamente 75 milhões de dólares que transitaram pela central de propina foram usados para corromper agentes e garantir benefícios de pelo menos 289 milhões de dólares à subsidiária da Odebrecht. No caso da petroquímica, as autoridades americanas detalham, por exemplo, que parte do dinheiro foi desembolsada como propina para alterar a fórmula de cálculo do preço de nafta, composto proveniente do petróleo utilizado como matéria-prima do setor.

Nas investigações da Operação Lava Jato, o doleiro Alberto Youssef e o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, ambos delatores do petrolão, já haviam afirmado à Polícia Federal que a Braskem pagou de 1% a 3% em propina, em dinheiro vivo, tanto para Costa quanto para políticos filiados ao Partido Progressista (PP) entre 2006 e 2012. Entre os parlamentares citados pelos delatores estão os deputados e ex-deputados Pedro Henry e Pedro Corrêa, ambos já condenados no julgamento do mensalão, Nelson Meurer, João Pizzolati, Mario Negromonte, Luiz Fernando Sobrinho, José Otávio, Arthur de Lira, Dudu da Fonte e Aguinaldo Ribeiro e os senadores Ciro Nogueira e Benedito de Lira. Todos negam irregularidades.

O documento do Departamento de Justiça dos Estados Unidos é assinado pelo procurador de Justiça Robert L. Capers e pelo chefe da Seção de Fraude da Divisão Criminal do Departamento de Justiça, Andrew Weissmann. Em termos de valores monetários, o acordo de leniência firmado com a Odebrecht e a Braskem é o maior já feito na história mundial em um caso de corrupção, informou o departamento americano.

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Carlos Marques

    Entendi. Não pode mencionar, em hipótese alguma, aquela ilha do Caribe governada por duas múmias, uma viva, outra falecida….

    Curtir

  2. Carlos Marques

    Bingo…É só escrever o nome da “Ilha” e o post não sai…Robot preconceituoso…

    Curtir

  3. Carlos Marques

    Cada um tem a paixão que merece…Seja feliz com a sua, Veja…

    Curtir

  4. Carlos Marques

    Kuba…

    Curtir

  5. Paulo Roberto Correa Lima

    E ALISTA DOS BENEFICIÁRIOS? QUEM GANHOU E QUANTO? A JUSTIÇA AMERICANO DEVE DIVULGAR.

    Curtir

  6. Paulo Roberto Correa Lima

    E A LISTA DOS BENEFICIÁRIOS? QUEM GANHOU E QUANTO? A JUSTIÇA AMERICANO DEVE DIVULGAR.

    Curtir

  7. quadrilha de terroristas, tinham que ir tudo pro colo do capeta….

    Curtir

  8. Tudo isto não passa de um complô entre a mídia golpista, Justiça, Policia Federal, Ministério Público Federal, empresas, políticos delatores, órgãos da justiça dos Estados Unidos e da Suíça para destruir o PT e para dar reforço ao plano a Odebrecht resolver para uma multinha de 10 bilhões de reais.

    Curtir

  9. Micky Oliver

    ESSA EMPRESA TEM DE SER FECHADA E TODOS OS SEUS DIRIGENTES TRANCADOS NO XILINDRÓ!

    Curtir