Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Obras vão garantir água a SP em 2015, diz Alckmin

Governador disse que fim da crise hídrica não depende só das chuvas

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) disse nesta sexta-feira, em Boituva, no interior de São Paulo, que o governo não depende apenas das chuvas para evitar que a crise hídrica se estenda até 2015. “Estamos fazendo obras. Além de interligar os sistemas que abastecem a Região Metropolitana de São Paulo, vamos ter a água do Sistema São Lourenço, que iremos trazer de Juquitiba, a 80 quilômetros (da capital paulista)”, disse. Esse sistema só deve começar a fornecer água para a Grande São Paulo em 2017. “Agora estamos investindo no reúso, um trabalho importante que vai permitir o reaproveitamento da água.”

Mesmo reafirmando que a pior fase da crise hídrica já passou com a volta das chuvas no Estado de São Paulo, o governador alertou que, além dos investimentos em obras, ainda é preciso economizar água. “Foi a maior seca dos últimos 84 anos e atingiu principalmente a Região Nordeste do Estado, onde fica o Sistema Cantareira.”

Alckmin garantiu que a dependência do sistema está sendo reduzida. “Antes, o Cantareira representava metade do abastecimento da Grande São Paulo e hoje representa só um quarto. Nós tirávamos 33 metros cúbicos por segundo e agora reduzimos para dezenove. Com mais um metro cúbico que vamos captar do Guarapiranga, será reduzido para dezoito metros cúbicos.”

De acordo com o governador, os reservatórios que abastecem a Região Metropolitana de São Paulo estão sendo interligados para evitar que falte água quando um dos sistemas fica comprometido, como ocorreu com o Cantareira. Ele disse que o governo estadual também ajuda os municípios a enfrentar a crise hídrica, lembrando que o governo liberou recursos para ajudar no abastecimento de Itu, em grave racionamento desde fevereiro deste ano.

Leia também:

Acumulado de chuvas deste mês já supera o de outubro

ANA diz que transposição do Paraíba do Sul é viável

Duplicação da Raposo – Alckmin esteve em Boituva, região de Sorocaba, para entregar 178 apartamentos da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) para famílias de baixa renda. O governador anunciou a duplicação da Rodovia Raposo Tavares (SP-270), no trecho entre Itapetininga a Ourinhos.

O trecho de 204 quilômetros não será concedido à iniciativa privada e não terá pedágio, pois vai ser feito pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER). O projeto será concluído até o final deste ano e a obra será licitada no início de 2015.

O governador esteve em Sorocaba também para a assinatura da doação da área em que será construído um hospital regional. A unidade terá 250 leitos, sendo 96 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e dez salas de cirurgias. A obra será iniciada no início de 2015, com prazo de 24 meses.

Secretarias – Alckmin confirmou que seu governo estuda a redução de secretarias, mas negou que a da Agricultura vá ser extinta. Uma petição pública circula pela internet coletando assinaturas contra a possível extinção da pasta.

“Nem sei de onde vêm esses boatos. A Secretaria da Agricultura é das mais antigas e importantes, e São Paulo é a terra do agronegócio. Temos 25 secretarias e estamos avaliando para reduzir uma ou outra, mas não a de Agricultura” afirmou, sem mencionar as pastas que podem ser extintas. “Estamos avaliando com cautela, sempre na linha de reduzir gastos para aumentar os investimento.”

Acidente – Quando se deslocava de carro do heliponto da cidade para o local do evento, o governador presenciou um acidente à frente do veículo que o levava. Um motociclista se perdeu ao passar uma lombada e ele e sua acompanhante foram ao solo. Alckmin, que é médico, pediu ao motorista que parasse o carro e foi atender as vítimas, ficando ao lado delas até a chegada da viatura do serviço de resgate.

(Com Estadão Conteúdo)