Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

“O Conselho de Ética não vai fazer nada?”

Senadores cobram apuração da rachadinha que rendeu 2 milhões de reais no gabinete do senador Davi Alcolumbre

Por Hugo Marques Atualizado em 17 nov 2021, 13h04 - Publicado em 17 nov 2021, 12h03

Durante a reunião da Comissão de Constituição e Justiça do Senado (CCJ), os senadores cobraram uma posição do Conselho de Ética sobre o esquema de rachadinha no gabinete do senador Davi Alcolumbre, presidente da comissão. Conforme reportagem publicada por VEJA, seis mulheres foram contratadas no gabinete de Alcolumbre na condição de devolverem a maior parte dos salários. Elas ganhavam salários entre 4.000 reais e 14.000 reais, mas ficavam apenas com uma minúscula parte. O restante era devolvido ao parlamentar.

Presidente da CCJ, Alcolumbre não apareceu apareceu para conduzir os trabalhos. O senador Lasier Martins (Podemos-RS) cobrou providências: “As pessoas estão perguntando: ‘e o Conselho de Ética não vai fazer nada?’ Eu endosso essa reclamação. O Conselho de Ética precisa de tomar uma atitude. É o nome do Senado que está em jogo, é o nosso nome que está também sendo considerado”, disse. “Se for necessário, quero encaminhar o pedido para que a comissão decida e vote sobre o afastamento do titular, que simplesmente não trabalha”.

O senador Espiridião Amin (PP-SC) concordou com Lasier Martins e criticou o fato de o Conselho de Ética não ter se pronunciado a respeito do esquema de Rachadinha de Alcolumbre. “Vou fazer uma pergunta, que garanto que ninguém sabe aqui responder: quem é o presidente do Conselho de Ética?”, indagou. Segundo ele, o Conselho de Ética está acéfalo, pois o mandato do presidente Jayme Campos já expirou e a Casa não escolheu outro nome para substitui-lo.

Os senadores também criticaram o fato de o presidente da CCJ não ter marcado a data da sabatina do ex-ministro da Justiça André Mendonça, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para a vaga de ministro do Supremo Tribunal Regional. Esperidião Amin classificou Davi Alcolumbre como “um desertor do regimento”. O senador Álvaro Dias (Podemos-PR) também registrou seu protesto: “O presidente dessa Comissão já pode comemorar porque ele ganhou a medalha de ouro na olimpíada do desrespeito à esta instituição e ao povo brasileiro”.

Continua após a publicidade

Publicidade