Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

O Congresso em 2014: um ano para lembrar. E esquecer

Das cassações de Vargas e Donadon à farsa na CPI, o Legislativo protagonizou momentos memoráveis – em meio a um recesso informal longo demais

Por Marcela Mattos 27 dez 2014, 07h21

No ano em que a Operação Lava Jato da Polícia Federal trouxe à tona a existência de um megaesquema de corrupção operado na Petrobras, o Congresso foi sacudido pelas delações premiadas decorrentes das investigações. Pelo menos 28 políticos foram citados, incluindo os presidentes da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). Mas o furacão provocado pelo petrolão não foi suficiente para demover os parlamentares do descanso auto-concedido ao longo de boa parte de 2014. O recesso informal teve início com a Copa do Mundo, em junho, e se estendeu praticamente até depois das eleições – ignorando uma extensa lista de matérias que aguardavam votação. Ainda assim, o Congresso foi palco de momentos memoráveis neste ano – embora o país preferisse esquecer muitas das cenas protagonizadas pelos parlamentares. A seguir, o melhor e o pior do Congresso neste ano que se encerra.

Publicidade