Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Noruega suspende repasse de R$ 133 milhões para o Fundo Amazônia

Decisão foi tomada após o governo da Alemanha cortar o envio de 155 milhões de reais para outros programas de preservação da floresta

Por Da Redação
Atualizado em 15 ago 2019, 16h14 - Publicado em 15 ago 2019, 15h58

A Noruega anunciou nesta quinta-feira, 15, a suspensão do apoio financeiro que destinava ao Fundo Amazônia. O governo do país escandinavo comunicou que não irá mais efetuar os pagamentos de 300 milhões de coroas norueguesas, algo próximo a 133 milhões de reais, para o programa.

Os noruegueses eram o principais doadores do fundo. Até hoje, o país havia feito aportes que totalizam 3,6 bilhões de reais. O programa tem por finalidade captar doações para investimentos não reembolsáveis em ações de prevenção, monitoramento e combate ao desmatamento, e de promoção da conservação e do uso sustentável da Amazônia Legal – como definido pelo site do fundo.

Ola Elvestuen, ministro do Clima e Meio Ambiente da Noruega, declarou que a medida foi tomada após mudanças feitas pelo governo brasileiro na formação do Comitê Orientador do Fundo Amazônia. Ele afirmou que o país rompeu o acordo mantido com a Noruega e a Alemanha – outra colaboradora do programa – ao efetuar alterações sem fazer consultas prévias.

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, vinha criticando a forma como os recursos do Fundo Amazônia são geridos. Ele disse não haver dispositivos suficientes para avaliar os resultados dos programas implementados com o dinheiro dos aportes europeus. Também sugeriu que a verba poderia ser usada para indenizar proprietários de terras em áreas de conservação que sofreram desapropriações, o que foi rechaçado pelos governos de Noruega e Alemanha.

Desde 2009, a Noruega foi responsável por cerca de 95% das doações para o fundo de proteção à floresta amazônica. A Alemanha ainda não se pronunciou sobre sua participação no programa, mas cortou o repasse de 155 milhões de reais que destinava a outras atividades de conservação na região. A decisão foi anunciada pela ministra alemã do Meio Ambiente, Svenja Schulze, no último sábado, 10.

Questionado sobre a suspensão do apoio alemão, o presidente Jair Bolsonaro declarou que o país não precisava do dinheiro. “Queria até mandar um recado para a senhora, querida Angela Merkel, que suspendeu 80 milhões de dólares para a Amazônia. Pegue essa grana e refloreste a Alemanha, ok? Lá está precisando muito mais do que aqui”, afirmou.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.