Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

No Rio, secretariado de Paes terá nomes da nova e da velha política

Prefeito eleito pelo DEM nomeará, entre outros, dois deputados federais, um deputado estadual, uma vereadora e um dos citados em delação premiada

Por Cássio Bruno Atualizado em 3 dez 2020, 21h44 - Publicado em 3 dez 2020, 17h29

Após a vitória nas urnas no domingo passado, o prefeito eleito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (DEM), começa a transição do governo municipal a todo vapor. Até o momento, a menos de um mês para assumir novamente o cargo que ocupou de 2009 a 2016, ele já anunciou 12 secretários de sua futura equipe, além de cinco subprefeitos. Na lista do primeiro escalão, estão dois deputados federais, um deputado estadual e uma vereadora eleita. Partidos como Cidadania, aliado durante a campanha deste ano, foi contemplado e o número de pessoas indicadas por outras legendas deve aumentar. O PSB, por exemplo, que fez parte da chapa da deputada estadual Martha Rocha (PDT), candidata a prefeita derrotada no primeiro turno, também estará na nova administração a partir de janeiro de 2021. No geral, os nomes escolhidos por Paes mesclam entre a nova e a velha política.

Nesta sexta-feira, 4, Eduardo Paes anunciará o deputado estadual Renan Ferreirinha (PSB) como secretário de Educação. Ele aceitou a proposta. Aos 27 anos, o parlamentar está no primeiro mandato e participou ativamente do processo de impeachment do governador afastado Wilson Witzel (PSC). Ferreirinha é conhecido nos bastidores como uma das promessas da nova geração. Nascido em São Gonçalo, na Região Metropolitana da capital fluminense, o deputado é formado em Harvard em Economia e Ciência Política. Para contratar os oito assessores de seu gabinete, Ferreirinha realizou um concurso, o que não é comum. No total, foram 4.935 inscritos.

Outra surpresa foi a decisão de chamar o líder comunitário Salvino Oliveira, de apenas 22 anos. Morador da Cidade de Deus, favela da Zona Oeste, ele será nomeado secretário da Juventude, pasta ainda a ser criada por Eduardo Paes. O jovem trabalhou na campanha do então candidato do DEM. Ele atua em projetos sociais e artísticos dentro da comunidade e é recém-formado em Gestão Pública na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Enquanto isso, o prefeito eleito convidou a ex-deputada federal e ex-vereadora Laura Carneiro (DEM), de 57 anos, para a Secretaria de Assistência Social, cargo já ocupado por ela na gestão do ex-prefeito Cesar Maia (DEM). Laura é bem conhecida no meio político e também participou da campanha de Eduardo Paes. Filha do ex-senador Nelson Carneiro, ela é amiga e foi fiel escudeira do ex-deputado federal cassado Roberto Jefferson (PTB) na Câmara, em Brasília. Jefferson foi condenado e preso no escândalo do mensalão do PT.

Com 14.646 votos, Laura Carneiro conseguiu se eleger novamente vereadora no Rio este ano. Em 2006, a então deputada federal foi acusada de participar da Máfia dos Sanguessugas, escândalo na compra irregular de equipamentos médicos que envolveu vários parlamentares. Em 2019, no entanto, a primeira turma do Supremo Tribunal Federal (STF) a absolveu por falta de provas.

Para a Secretaria de Esportes, Eduardo Paes optou por Guilherme Schleder, que atuou na Casa Civil em gestões anteriores do prefeito eleito. Schleder foi citado em delação premiada pelo marqueteiro Renato Pereira. Segundo Pereira, Schleder era o operador do caixa 2 da campanha de Eduardo Paes, em 2012. Paes é réu na Justiça Eleitoral neste processo, mas nega as irregularidades. A delação de Pereira foi homologada, em 2018, pelo ministro Ricardo Lewandowski, do STF.

Deputado federal pelo Cidadania, Marcelo Calero será o secretário de Integridade e Governo. O parlamentar chegou a ser um dos pré-candidatos a prefeito. Seu partido, porém, optou por fechar acordo com Eduardo Paes. Este posto será um dos estratégicos para o prefeito eleito. Calero ficará responsável, entre outras coisas, por criar medidas contra corrupção dentro da prefeitura. Em sua antiga gestão, Paes viu o então secretário de Obras, Alexandre Pinto, ser preso na Operação Lava Jato.

Marcelo Calero ficou conhecido nacionalmente depois de acusar o então ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, de pressioná-lo para liberar uma obra, em Salvador, por interesses particulares quando era ministro da Cultura do ex-presidente Michel Temer (MDB). Depois do escândalo, o deputado deixou o governo Temer. Calero também já foi secretário de Cultura de Eduardo Paes, entre 2015 e 2016.

Continua após a publicidade

Embora ainda não tenha sido anunciado oficialmente, o vereador reeleito Luiz Carlos Ramos Filho (PMN) está cotado para a nova Secretaria de Proteção Animal. Ramos Filho é um parlamentar controverso. Ao longo do mandato, ele votou contra e a favor de pedidos de impeachment do atual prefeito Marcelo Crivella (Republicanos), derrotado por Paes no segundo turno. Em setembro, o vereador, atual presidente da Comissão de Defesa dos Animais da Câmara Municipal, apoiou o afastamento do bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus no caso que ficou conhecido como “Guardiões do Crivella”. No entanto, no episódio “Fala com a Márcia”, em junho do ano passado, Ramos Filho foi contrário. Ramos Filho já foi secretário de Proteção ao Animais do próprio Eduardo Paes. O ex-deputado federal Luiz Carlos Ramos, identificado por usar sempre um chapéu e pai do vereador, fez parte do governo de Crivella.

Conheça outros secretários:

FAZENDA, PLANEJAMENTO E CONTROLADORIA: Pedro Paulo Carvalho é economista e deputado federal pelo DEM. Era braço-direito de Eduardo Paes nas gestões anteriores do prefeito eleito quando atuou como chefe da Casa Civil. Foi um dos coordenadores da última campanha de Paes. Em 2016, disputou a prefeitura, mas não chegou nem no segundo turno. À época, se envolveu em um escândalo de agressão à ex-mulher.

SAÚDE: Daniel Soranz é médico sanitarista e o primeiro nome anunciado por Eduardo Paes. Será o responsável, principalmente, pelo enfrentamento da pandemia do novo coronavírus. É funcionário da Fiocruz e já ocupou a mesma secretaria no governo Paes, entre 2014 e 2016.

PLANEJAMENTO URBANO: Washington Fajardo é arquiteto e urbanista formado pela Universidade Federal do Rio (UFRJ). Foi assessor especial do novo prefeito durante a primeira vez que Eduardo Paes comandou a cidade e presidente do Rio Patrimônio. Fajardo trabalhou na última campanha para Paes e chegou a declarar publicamente a intenção de disputar a prefeitura. No entanto, não conseguiu um partido que o lançasse candidato.

TRANSPORTE: Maína Celidônio é economista e especializada no tema. É professora do Insper e já presidiu o Instituto Pereira Passos.

MULHER: Joyce Trindade tem 24 anos. É moradora de Kosmos, na Zona Norte. Atualmente, ela trabalha no Instituto República.

AÇÃO COMUNITÁRIA: Marli Peçanha é professora da rede municipal.

CONSERVAÇÃO: Anna Laura Secco foi a primeira mulher anunciada para o secretariado. Ela também participou da primeira gestão de Eduardo Paes como coordenadora de promoção de eventos da Casa Civil. Terá como um dos desafios o combate às enchentes na capital.

Continua após a publicidade
Publicidade