Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

MPF investiga Skaf por uso político da Fiesp

Órgão vai avaliar se presidente da entidade, provável nome para o governo de SP, antecipou propaganda para 2018; VEJA revelou ritmo de candidato em agenda

A Procuradoria Regional Eleitoral de São Paulo (PRE-SP), do Ministério Público Federal (MPF), vai investigar a conduta de Paulo Skaf, presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). O órgão apura acusações de abuso de poder econômico e propaganda eleitoral antecipada. Conforme revelado por VEJA, Skaf, provável candidato ao governo de São Paulo pelo PMDB, tem adotado um verdadeiro ritmo de campanha nos eventos da entidade.

No inquérito, a procuradoria vai apurar se o presidente da Fiesp utilizou indevidamente a propaganda do chamado Sistema S, como as escolas do Sesi e do Senai, “para expor sua imagem de eventual pré-candidato, em desrespeito à legislação eleitoral”. Pelas regras estabelecidas para as próximas eleições, atos de campanha só são permitidos a partir de agosto do ano que vem.

Reportagens de VEJA trouxeram três momentos recentes em que eventos da entidade ganharam contornos de promoção da imagem de Paulo Skaf. Em 28 de outubro, o possível candidato percorreu as ruas do bairro Água Branca, em Santos, no litoral paulista, acompanhados de alunos do Senai, que instalavam em residências aparelhos de sinal digital de televisão. Acompanhado de uma equipe de filmagem, que registrava todos seus movimentos, o presidente da Fiesp conversava com as pessoas e tratava de temas alheios ao evento.

No mesmo dia, foi até Cubatão, também no Estado de São Paulo, para inaugurar um ginásio, um campo de futebol e uma sala de lutas dentro de uma unidade no Sesi. O evento tinha distribuição livre de pipoca e algodão doce, um pula-pula para as crianças e uma série de outras atividades distribuídas gratuitamente, como aulas de dança para os mais velhos. Nesta terça-feira, durante o evento de ampliação do programa Jovens Empreendedores Primeiros Passos (JEPP), do Sebrae (entidade também ligada à Fiesp), Skaf convidou para um almoço mais de 130 prefeitos paulistas.

Questionado pela reportagem de VEJA, Paulo Skaf negou utilizar a Fiesp para fins eleitorais, ressaltando que seu trabalho na entidade “não guarda relação com questões eleitorais ou partidárias”. Sobre a investigação aberta pela PRE-SP, a entidade comandada pelo peemedebista afirmou que “toda a publicidade da Fiesp, Sesi-SP e Senai-SP tem natureza institucional. Seu objetivo é divulgar programas e projetos das entidades. Além disso, se presta a informar à Indústria, que custeia as entidades, sobre a boa gestão e os bons resultados alcançados. Não existe qualquer conotação partidária associada a essa atividade”.

Sobre a exibição da imagem de Skaf, mesmo na sua condição de potencial candidato às próximas eleições, a Fiesp afirma que “a eventual utilização de imagem de funcionários e dirigentes é uma opção das entidades, sempre aprovada expressamente pelos seus respectivos Conselhos” e que segue o regramento interno, dos comandos nacionais e do Tribunal de Contas da União (TCU). A nota diz que a entidade está “tranquila e pronta para prestar quaisquer esclarecimentos que a Procuradoria considerar necessários”.

A nota da Fiesp na íntegra

Toda a publicidade da Fiesp, SESI-SP e SENAI-SP tem natureza institucional. Seu objetivo é divulgar programas e projetos das entidades. Além disso, se presta a informar à Indústria, que custeia as entidades, sobre a boa gestão e os bons resultados alcançados. Não existe qualquer conotação partidária associada a essa atividade. A eventual utilização de imagem de funcionários e dirigentes é uma opção das entidades, sempre aprovada expressamente pelos seus respectivos Conselhos. Ela segue: 1) regramento das próprias entidades, 2) do Sesi/Senai nacional e 3) do Tribunal de Contas da União. Todas essas regras sempre foram cumpridas rigorosamente.
Por estas razões, estamos tranquilos e prontos para prestar quaisquer esclarecimentos que a Procuradoria considerar necessários.