Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

MP oferece hoje denúncia contra Elize Matsunaga

Em seguida, a Justiça vai se posicionar sobre o pedido de prisão preventiva

Por Valmar Hupsel Filho - 19 jun 2012, 14h01

O promotor de Justiça José Carlos Consenzo, do 5º Tribunal do Júri da Capital, oferecerá nesta terça-feira a denúncia contra Elize Araújo Matsunaga, 30 anos, autora confessa do assassinato e esquartejamento do marido, o diretor executivo da empresa de alimentos Yoki, Marcos Kitano Matsunaga, de 42.

Em seguida, o promotor vai encaminhar o inquérito policial ao juiz Adilson Paukoski, do Fórum Criminal de Barra Funda, para que ele dê seu posicionamento a respeito do pedido de prisão preventiva solicitado pelo delegado do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Mauro Dias, responsável pela investigação.

Elize Matsunaga continua sob custódia temporária no presídio feminino de Itapevi. A prisão foi decretada no último dia 3, quando a polícia terminou de reunir os indícios de sua participação no crime. O prazo inicial de cinco dias foi estendido por mais 15 depois que, num interrogatório que durou mais de oito horas, Elize confessou o assassinato.

A prisão temporária vence na próxima sexta-feira, dia 22. Caso o juiz decida pela concessão da prisão preventiva, Elize pode ficar sub custódia até o julgamento. Ela deve responder por homicídio duplamente qualificado (motivo torpe e meio cruel) e ocultação de cadáver. O advogado de defesa, Luciano Santoro, aguarda a decisão do juiz para se posicionar.

Publicidade