Clique e assine com até 92% de desconto

MP do Rio denuncia padre por abuso sexual

Emilson Corrêa, de 56 anos, é acusado de abusar sexualmente de uma adolescente de 13 anos que era coroinha da igreja em Niterói

Por Da Redação 17 Maio 2013, 13h20

O Ministério Público do Rio denunciou à Justiça o padre Emilson Soares Corrêa, de 56 anos, por abusar sexualmente de uma adolescente em Niterói, na Região Metropolitana do Rio. O crime teria ocorrido entre 2005 e 2006, quando ela tinha 13 anos e era coroinha da igreja. Também foram denunciados os pais da vítima por terem extorquido e ameaçado o religioso quando souberam dos abusos. Os três denunciados negam as acusações.

De acordo com a denúncia assinada pelo promotor Rubem Viana, Emilson abusava da adolescente dentro da Igreja Nossa Senhora do Rosário e São Benedito, no bairro Cubango. Um vídeo, divulgado em fevereiro deste ano pelo jornal Extra, mostra o padre tocando nas partes íntimas da menina.

Leia também:

Reinaldo Azevedo: Um padre, um pai, duas filhas e os atos sórdidos

Arcebispo vai depor sobre padre acusado de pedofilia

Ainda segundo a denúncia, os pais da menina teriam visto o vídeo em novembro de 2012, e ameaçaram divulgá-lo caso o padre não lhes desse dinheiro e uma casa. O casal também teria dito a Emilson que, caso não concordasse com a extorsão, um ex-namorado da adolescente, que estaria prestes a sair da cadeia, iria matá-lo.

O religioso foi denunciado pelo crime de atentado violento ao pudor. Segundo o promotor Rubens Viana, os crimes foram cometidos antes da mudança da lei, em 2009, que diferenciava atentado ao pudor de estupro. Pela lei antiga, para caracterizar o estupro, era necessária a conjunção carnal – o que não aconteceu. Já os pais da vítima vão responder por extorsão.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade