Clique e assine com até 92% de desconto

Mourão: governo ainda precisa buscar entre 60 e 70 votos para Previdência

Na avaliação do vice-presidente, base aliada soma 250 votos; para líder do governo na Câmara, número de parlamentares favoráveis à reforma pode chegar a 372

Por Da Redação 19 fev 2019, 18h14

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, afirmou que a base de apoio do governo à reforma da Previdência possui atualmente 250 parlamentares. O texto será encaminhado ao Congresso nesta quarta-feira, 20. “A gente sabe que a oposição tem em torno de 150 votos. Então sobram 363 para serem garimpados. Acredito que temos 250. Então entre 60, 70 votos terão que ser buscados”, avaliou o vice.

Pouco antes, o líder do governo na Câmara, Vitor Hugo (PSL), não soube fazer uma estimativa de quantos parlamentares apoiam a reforma atualmente, mas disse que o número pode chegar a 372 deputados. “A gente estima que a base pode chegar a 372 em função de haver oito partidos que se declaram de oposição”, considerou.

  • O secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, afirmou, na segunda-feira, 18, que o presidente da República, Jair Bolsonaro, vai entregar pessoalmente a proposta de reforma da Previdência ao Congresso Nacional nesta quarta-feira, 20.

    Simultaneamente, haverá entrevista coletiva para detalhar os pontos do texto. Marinho não informou o horário da entrevista nem quem estará presente. Até o momento, apenas a idade mínima está confirmada: 65 anos para homens e 62 anos para mulheres, após 12 anos de transição. A estimativa de economia com a aprovação da reforma é de 800 milhões de reais a 1 trilhão de reais em dez anos.

    (com Estadão Conteúdo e Agência Brasil) 

    Continua após a publicidade
    Publicidade