Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Moro impede que Lula tenha esquema especial de visitas na PF

Juiz disse que ex-presidente não terá qualquer outro privilégio em relação a outros condenados; além de advogados, apenas parentes podem visitá-lo

Por Da Redação 10 abr 2018, 13h55

O juiz Sergio Moro, da 13ª Vara Federal da Curitiba, afirmou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não terá direito a qualquer esquema diferenciado de visitas na Superintendência da Polícia Federal, onde está preso desde a noite de sábado (7). A medida anunciada pelo magistrado joga um balde de água fria na expectativa que políticos têm de visitar o petista.

Lula ocupa uma cela de 15 metros quadrados no quarto andar da sede da PF, que tem cama e banheiros próprios. O local funcionava como alojamento de policiais e foi especialmente preparado para receber o ex-presidente em razão do cargo que ocupou. O petista não terá contato com os outros presos.

Moro permitiu que uma televisão fosse instalada no local — e só. “Nenhum outro privilégio foi concedido, inclusive sem privilégios quanto a visitações, aplicando-se o regime geral de visitas da carceragem da Polícia Federal, a fim de não inviabilizar o adequado funcionamento da repartição pública, também não se justificando novos privilégios em relação aos demais condenados”, escreveu.

As visitas a presos na Polícia Federal acontecem às quartas-feiras e estão restritas a familiares. A regra não se aplica aos advogados, que podem se encontrar com seus clientes todos os dias. Nesta terça-feira (10), o senador paranaense Roberto Requião (MDB) pediu ao juiz para que os governadores do Norte e Nordeste que estão em Curitiba possam visitar Lula. 

A tendência da Justiça Federal é responder apenas aos questionamentos feitos pelos advogados das partes identificados nos processos. Além disso, as decisões sobre o cumprimento da pena de Lula passam a ser determinadas pela juíza a Execução Penal, Carolina Lebbos, e não mais por Moro.

 

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)