Moro: Hackers ‘não vão interferir’ na missão de reduzir crimes

Ministro da Justiça apresentou redução no registro de ocorrências no primeiro bimestre

Por Da Redação - Atualizado em 12 jun 2019, 14h54 - Publicado em 12 jun 2019, 08h02

O ministro Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública) apresentou na manhã desta quarta-feira, 12, números que mostram a redução no número de diversos crimes, entre eles homicídio e roubo, no primeiro semestre de 2019 em relação ao mesmo período do ano passado. E aproveitou para mandar um recado: “Hackers de juízes, procuradores, jornalistas e talvez de parlamentares, bem como suas linhas auxiliares ou escândalos falsos não vão interferir na missão”, escreveu o ministro, em sua conta no Twitter.

Uma série de mensagens divulgadas pelo site The Intercept Brasil atribuídas a Moro mostra que ele orientou o procurador Deltan Dallagnol, do Ministério Público Federal, em ações da operação Lava Jato enquanto ele era o juiz responsável pelos processos relativos à operação. Os diálogos no aplicativo Telegram foram obtidos, segundo o site, por uma fonte anônima que compartilhou o material. Os dois negam qualquer irregularidade nas conversas.

Em sua conta na rede social, o ministro tocou no assunto ao apresentar estatísticas de criminalidade a partir do Sinesp, sistema do Ministério da Justiça, que reúne dados de boletins de ocorrência. Moro destacou uma redução de 23% no número de homicídios nos primeiros dois meses de 2019 em relação ao mesmo período de 2018.

“Muitos fatores influenciam a queda, o mérito não é só do Governo Federal, mas também dos estaduais e distrital. Mesmo com a redução, os números ainda são altos, precisamos trabalhar muito mais”, afirmou Moro, que também cobrou a aprovação de seu Projeto Anticrime, mas reconheceu que a prioridade é a reforma da Previdência. 

Publicidade

Reportagem publicada em VEJA, em maio, mostra que ainda é cedo para comemorar esses números. As alas bolsonaristas celebraram a notícia de que o número de mortes violentas em janeiro caiu em relação ao mesmo mês de 2018. Mas na verdade a taxa de homicídios vem caindo desde 2017, quando atingiu o seu ápice, com sete mortes por hora, e só agora está voltando, gradativamente, ao patamar de 2015, que, comparado com o padrão mundial, ainda é um número vergonhoso, característico de países em guerra, como a Síria.

Conforme levantamento feito por VEJA com base em dados compilados pelo Ministério da Justiça, o Brasil teve uma diminuição de 20% no índice de mortes violentas (homicídios dolosos, lesão corporal seguida de morte e latrocínio) em janeiro de 2019 ante o mesmo mês do ano passado. Embora exista uma melhora significativa, o fenômeno ainda tem pouco a ver com iniciativas do novo governo, até porque muitas delas ainda nem tiveram tempo de ser postas em prática. 

Publicidade

View this post on Instagram

A ala bolsonarista celebra a notícia de que o número de mortes violentas (homicídios dolosos, lesão corporal seguida de morte e latrocínio) em janeiro caiu em relação ao mesmo mês de 2018. Mas na verdade a taxa de homicídios vem caindo desde 2017, quando atingiu o seu ápice, com sete mortes por hora, e só agora está voltando, gradativamente, ao patamar de 2015, que, comparado com o padrão mundial, ainda é um número característico de países em guerra, como a Síria. ▶ Confira a matéria completa nos stories.

A post shared by VEJA (@vejanoinsta) on

 

Publicidade

CONHEÇA OS PODCASTS DE VEJA

Já ouviu o podcast “Funcionário da Semana”, que conta a trajetória de autoridades brasileiras? Dê “play” abaixo para ouvir a história de Sergio Moro, ministro da Justiça. Confira também os outros episódios aqui.

 

Publicidade
Publicidade