Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ministro ordena bloqueio de redes sociais e WhatsApp de críticos do STF

Alexandre de Moraes determinou que a Polícia Federal realizasse busca e apreensão na casa de pessoas que postaram mensagens contra o Supremo

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou o bloqueio de contas em redes sociais e do WhatsApp de sete pessoas investigadas por publicarem ofensas contra a Corte. Em decisão sigilosa, o magistrado diz que foram verificadas mensagens com “conteúdo de ódio e de subversão da ordem” direcionadas ao STF. Os suspeitos foram alvos de buscas e apreensões realizadas pela Polícia Federal no Distrito Federal, em Goiás e em São Paulo nesta terça-feira, 16.

Trecho de decisão proferida pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal Trecho de decisão proferida pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal

Trecho de decisão proferida pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (REPRODUÇÃO/VEJA)

A medida é resultado de uma investigação instaurada a pedido do presidente da Corte, ministro Dias Toffolli, em 14 de março. O objetivo desse inquérito, relatado por Moraes, é apurar notícias falsas, denunciações caluniosas e ameaças que “atingem a honorabilidade e a segurança do Supremo Tribunal Federal, de seus membros e familiares”. Uma das postagens que entraram na mira do STF foi publicada por um policial civil do estado de Goiás com o seguinte teor: “O nosso STF é bolivariano, todos alinhados com os narcotraficantes e corruptos do país. Vai ser a fórceps”. Em outra mensagem, o suspeito diz: “O Peru fechou a corte suprema do país. Nós também podemos. Pressão total contra o STF”. O ministro chama atenção para o fato de o envolvido andar “constantemente armado”.

Em outro caso, o investigado disse nas redes sociais que o “STF soltou até traficante” e que “é desanimador o fato de tantos brasileiros ficarem alheios ao que a quadrilha STF vem fazendo contra a nação”. Segundo o ministro Alexandre de Moraes, essas publicações revelam uma “propaganda com o objetivo de alteração da ordem política e social”.

Entre os alvos também está o general da reserva Paulo Chagas. Segundo o ministro do Supremo, ele fez “postagens nas redes sociais de propaganda de processos violentos ou ilegais para a alteração da ordem política e social, com repercussão entre seguidores”. Moraes diz que o “investigado defendeu a criação de um Tribunal de Exceção para julgamentos do Ministros do STF ou mesmo substituí-los”.

No mandado de busca, o ministro Alexandre de Moraes ordena à Polícia Federal apreender computadores, tablets, celulares e outros dispositivos eletrônicos encontrados nas casas dos suspeitos. O magistrado também determina que a PF tenha acesso a “documentos e dados armazenados em arquivos eletrônicos” e que colha os depoimentos de todos os alvos da operação.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Evandro Oliveira

    Prevejo um cabo e um soldado…

    Curtir

  2. Emilio Santana

    Senhores da vergonha Nacional. Não confio neles.

    Curtir

  3. Manoel Bento Motta

    Está esticando a corda, será que não arrebenta?

    Curtir

  4. Otavio Tallarico

    Censura do STF : Agora temos o “desequilíbrio” dos poderes para que o nosso Presidente Bolsonaro possa solicitar uma intervenção militar e mandar todos estes “deuses-togados” pra longe daqui.

    Curtir

  5. João Francisco Araujo Castro

    O STF É UMA VERGONHA.. CPF 041691901-49

    Curtir

  6. João Francisco Araujo Castro

    O STF É UMA VERGONHA – CPF 04169190149

    Curtir

  7. Eliana Neves

    Tenho VERGONHA do STF! Não são dignos de pertencerem à Corte! INTERVENÇÃO JÁ! Que tragam logo o CABO e o SOLDADO!

    Curtir

  8. Ricardo jacone

    O STF É UMA VERGONHA.

    Curtir

  9. Ricardo Carvalho

    É certo que a censura não pode ser imposta, mas há limites importantes para a liberdade de expressão. Como nenhum direito é absoluto, o direito à liberdade de expressão fica igualmente sujeito às regras que não extrapolem os limites de segurança do Estado e de suas instituições. Por exemplo: é lícito pedir o impeachment de Ministros do STF, a abertura de CPI ou até mesmo o fim do STF, desde que o corolário disso seja o uso de leis para tal fim. Agora, não é possível, sob o manto da liberdade de expressão, fazer apologia ao uso de armas, força, intervenção militar ou qualquer outro artifício ilícito.

    Curtir

  10. Fábio Paranaíba

    E eu que torci para o carequinha virar ministro no STF. Se arrependimento matasse…

    Curtir