Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

MG: Anastasia ignora pesquisas e Zema diz não ser ‘salvador da pátria’

Candidatos ao governo de Minas Gerais votaram na manhã deste domingo. Zema lidera as últimas pesquisas com cerca de 70% dos votos

Por Estadão Conteúdo 28 out 2018, 11h00

Os candidatos ao governo de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo) e Antonio Anastasia (PSDB) votaram na manhã deste domingo e demonstraram confiança. Com ampla vantagem nas pesquisas, Zema disse não ser “salvador da pátria”, enquanto Anastasia afirmou que respeitará o resultado das urnas.

Anastasia, votou às 8h30 em um colégio na região centro-sul de Belo Horizonte. Ele chegou acompanhado do senador eleito, Rodrigo Pacheco (DEM) e recebeu flores de uma apoiadora do presidenciável do PT, Fernando Haddad. Após votar, o ex-governador minimizou a influência das últimas consultas populares. “Não vou brigar com pesquisas, faltam poucas horas para o resultado. De toda forma, vamos aplaudir o resultado, pois isso é democracia”, afirmou. O senador acompanhará a apuração em casa.

  • Romeu Zema votou pela manhã em escola na região central de Araxá, cidade onde nasceu, no Triângulo Mineiro. Em seguida foi para a casa dos pais. O retorno para Belo Horizonte, onde acompanhará a apuração dos votos, está previsto para o início da tarde. Zema prometeu, se eleito, um governo de técnicos, por “não ter rabo preso com ninguém”.

    Pesquisa Ibope divulgada neste sábado apontou Zema com vantagem expressiva em relação ao seu adversário na disputa: 68% dos votos válidos, contra 32% do tucano Anastasia. Para o Datafolha, Zema lidera com 70% dos votos válidos, contra 30% de Anastasia. Se eleito, Zema será o primeiro filiado ao Novo a governar um estado brasileiro.

    “Eu quero ser junto com o meu partido esse agente de mudança que vai nos levar a um lugar melhor. Não sou Deus, não sou herói, não sou salvador da pátria, mas trabalho muito e vou me cercar das melhores pessoas para poder fazer aquilo que estiver ao meu alcance”, disse.

    “Já tenho demonstrado aquilo que eu quero fazer. É gastar pouco e fazer muito. Caso seja eleito hoje vou ter um secretariado totalmente profissional, porque estou sendo eleito sem ter o rabo preso com ninguém. Vamos trazer as melhores pessoas para poder dar um jeito em Minas Gerais”, completou.

    (com Estadão Conteúdo)

    Continua após a publicidade
    Publicidade