Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Mesmo embargada, obra que matou uma pessoa está em andamento

Na Avenida Liberdade, onde um prédio de dois andares veio abaixo, galpão está em fase final de construção; operários foram flagrados trabalhando

Por Da Redação 3 set 2013, 19h49

Apesar de embargada pela Prefeitura de São Paulo, a obra onde uma pessoa morreu em 1º de março deste ano, nos números 720 e 736 da Avenida Liberdade, na região central de São Paulo, continua em andamento. Três operários foram flagrados trabalhando na construção nesta terça-feira.

O desabamento matou o auxiliar de limpeza Marco Antonio dos Santos, de 51 anos, que passava pela calçada. Na ocasião, o prédio onde funcionava uma lanchonete ruiu totalmente e uma grande cratera se formou. Nesta terça-feira, foi observado que a obra já está em estágio avançado com um galpão quase completamente construído. Um dos funcionários parecia fazer o reboco de uma parede.

O endereço consta na lista de obras embargadas divulgada pela prefeitura nesta segunda-feira a pedido do prefeito Fernando Haddad. A iniciativa é consequência do desabamento de uma obra no último dia 27, no bairro de São Mateus, na Zona Leste de São Paulo. A construção estava irregular e seu colapso resultou na morte de dez operários e causou ferimentos em 26.

O advogado do proprietário do imóvel na Liberdade, Thomas Nicolas Chryssocheris, disse que as obras em andamento são apenas emergenciais. De acordo com ele, um laudo pericial demonstrou que o desabamento foi provocado por um vazamento da Sabesp.

Continua após a publicidade

Boletim de ocorrência – A assessoria de imprensa da Prefeitura de São Paulo informou que foi registrado um boletim de ocorrência por crime de desobediência pela continuidade das obras embargadas. Segundo o órgão, não é de sua alçada paralisar as atividades e sua obrigação é apenas informar a polícia. Até o início da tarde desta terça-feira, a prefeitura não havia informado a data e o local em que foi registrado o boletim. Com as informações prestadas pela administração municipal, a Secretaria de Segurança não conseguiu localizar nenhum registro da ocorrência.

O delegado titular do 1º DP (Sé), José Sampaio Lopes Filho, disse que não localizou nenhum registro de ocorrência sobre crime de desobediência relativo à obra. A delegacia é responsável pelo inquérito do desabamento. Segundo Lopes Filho, o inquérito já foi encaminhado para o fórum, mas ainda não há confirmação da denúncia pelo Ministério Público. Segundo o delegado, dois engenheiros e o proprietário do imóvel foram indiciados por homicídio doloso. “Só estamos esperando o laudo pericial e iremos mandá-lo para o juiz”, disse ele. “A polícia não tem o poder de parar a obra . A prefeitura, entendo, podia parar.”

Ministério Público – O promotor José Carlos de Freitas se reuniu, nesta terça-feira, com o secretário municipal de Coordenação das Subprefeituras, Chico Macena, para tratar sobre o desabamento do prédio em construção, em São Mateus, na Zona Leste de São Paulo.

No encontro, foram discutidas maneiras de agilizar os procedimentos de fiscalização e cumprimento de embargos de obras irregulares. O MP demonstrou preocupação sobre as informações de que a prefeitura não possui um quadro adequado de agentes de fiscalização e afirmou que cobrará da administração uma postura mais rígida para que a tragédia da Avenida Mateo Bei não se repita.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês