Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

MEC pede que escolas filmem crianças cantando o Hino Nacional

Em carta a diretores, ministro Vélez Rodríguez saúda o ‘Brasil dos novos tempos’; PSOL e PT dizem que irão denunciá-lo por crime de responsabilidade

O Ministério da Educação (MEC) enviou nesta segunda-feira, 25, uma carta a todas as escolas do país pedindo que as crianças sejam perfiladas para cantar o Hino Nacional e que um representante da instituição filme o momento e encaminhe o vídeo para o governo federal.

A informação foi revelada pelo blog de Renata Cafardo, do jornal O Estado de S. Paulo. Segundo a publicação, a pasta também enviou uma carta, assinada pelo ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, que, segundo a recomendação, deveria ser lida aos estudantes no primeiro dia de aula. Vélez Rodríguez pede ao aluno para saudar “o Brasil dos novos tempos e celebrar a educação responsável e de qualidade a ser desenvolvida na nossa escola pelos professores, em benefício de vocês, alunos, que constituem a nova geração”.

“Prezados diretores, pedimos que, no primeiro dia da volta às aulas, seja lida a carta que segue em anexo nesta mensagem, de autoria do ministro da Educação, professor Ricardo Vélez Rodríguez, para professores, alunos e demais funcionários da escola, com todos perfilados diante da bandeira do Brasil (se houver) e que seja executado o Hino Nacional”, diz o documento. 

“Solicita-se, por último, que um representante da escola filme (pode ser com celular) trechos curtos da leitura da carta e da execução do Hino Nacional. E que, em seguida, envie o arquivo de vídeo (em tamanho menor do que 25 MB) com os dados da escola”, diz o texto do e-mail.

“Isso é ilegal, o MEC não tem competência para pedir nada disso às escolas”, disse ao blog Renata Cafardo o diretor da Associação Brasileira de Escolas Particulares (Abepar), Arthur Fonseca Filho.

Também ao blog, a assessoria de imprensa do MEC afirmou que a carta do ministro é uma recomendação, não uma ordem às escolas.

Crime de responsabilidade

O deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ) classificou a iniciativa de “gravíssima” e disse, por meio do Twitter, que vai denunciar Vélez Rodríguez por crime de responsabilidade. Segundo ele, a carta do ministro faz referência ao slogan de campanha do presidente Jair Bolsonaro “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”.

“O ministro da Educação se utiliza do lema de uma campanha para fazer doutrinação em massa nas escolas. Ministro, esse não é o seu papel, não é esse tipo de pregação que cabe ao ministro da Educação”, disse Freixo no post.

O deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS), líder do partido na Câmara, também contou que vai denunciar o ministro por crime de responsabilidade. “Nem a ditadura ousou impor esse tipo de medida absurda!”, afirmou, também pelo Twitter.

A deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) lembrou que um dos motes de campanha de Bolsonaro e aliados foi a implantação do projeto Escola sem Partido, destinado a combater uma suposta doutrinação ideológica em escolas. “Escola sem partido? O que este ministro e este governo querem é impor para os estudantes brasileiros apenas sua visão de mundo. É a escola de um partido só. Um partido fundamentalista, que só concebe educação a partir do seu próprio umbigo”, disse.

O candidato do PT à Presidência da República na eleição de 2018, Fernando Haddad, que foi derrotado no segundo turno por Bolsonaro, também criticou: “A República em risco. Improbidade e falta total de decoro: MEC pede que escolas particulares leiam slogan de Bolsonaro, executem hino e filmem a ação”, escreveu no Twitter.

A iniciativa também ganhou apoio nas redes sociais, como o da deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP). “Terremoto! MEC enviou e-mail pedindo às escolas que cantem o Hino Nacional no primeiro dia da volta às aulas. Sugeriu que as crianças sejam filmadas. Já podem imaginar o mimimi! É crime resgatar nossa identidade e valorizar os símbolos nacionais”, afirmou.

Veja a íntegra da carta do ministro:

Brasileiros! Vamos saudar o Brasil dos novos tempos e celebrar a educação responsável e de qualidade a ser desenvolvida na nossa escola pelos professores, em benefício de vocês, alunos, que constituem a nova geração. Brasil acima de tudo. Deus acima de todos!