Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

MDB vê traição de ACM Neto a Rodrigo Maia

Depois de bancada baiana do DEM declarar apoio a Arthur Lira, o presidente nacional da legenda declarou "apoio institucional" a Baleia Rossi

Por Nonato Viegas Atualizado em 27 jan 2021, 09h28 - Publicado em 26 jan 2021, 16h12

Lideranças do MDB de Baleia Rossi, candidato a presidente da Câmara dos Deputados, entenderam como “traição” o gesto de ACM Neto, presidente nacional do DEM, de tolerar o apoio dos deputados de seu estado a Arthur Lira. “Impossível o Neto não saber que seus deputados, entre os quais presidente municipal do DEM, iriam apoiar o candidato do governo”, disse um emedebista em condição de anonimato. O sentimento no partido de Baleia é de que prevaleceu o desejo pelos cargos no governo e por afirmar ao governo que a influência de Rodrigo Maia está em declínio.

Em encontro nesta segunda-feira, 25, Paulo Azi (DEM-BA), Leur Lomanto Júnior (DEM-BA), Igor Kannário (DEM-BA), Elmar Nascimento (DEM-BA) e Arthur Oliveira Maia (DEM-BA) fizeram questão de posar para foto abraçados com Lira. Azi é presidente estadual do DEM.

O gesto causou mal-estar na relação entre Maia e o presidente nacional do DEM, ACM Neto, cuja base eleitoral é a Bahia e que tem completa ascendência sobre a bancada baiana do partido. O próprio Neto se encontrou com Lira. Depois da reclamação do presidente da Câmara, ACM Neto prometeu emitir nota ainda na segunda-feira reafirmando o apoio da legenda a Baleia Rossi. O presidente do DEM também teria se comprometido a conversar com jornalistas para tentar desfazer o mal-estar. Entretanto, o presidente da legenda fez silêncio até esta terça-feira, 26, quando emitiu nota declarando que a visita de Lira foi “cortesia” e afirmando que seu partido “tem posição institucional de apoio à candidatura de Baleia Rossi, em conjunto com amplo bloco liderado pelo presidente Rodrigo Maia”. A foto já havia sido divulgada pela candidatura de Lira.

Na opinião de parlamentares do MDB, Neto fez um gesto para o governo, “traindo” o presidente da Câmara e para marcar a posição de que Rodrigo Maia já não tem ascendência sobre a bancada do partido na Câmara. “É quase um encerramento precipitado da liderança de Maia”, afirmou um deputado do MDB, envolvido na campanha de Rossi. O DEM tem cargos na na Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), na Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) e no Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs).

Continua após a publicidade
Publicidade