‘Maus brasileiros’ usam números mentirosos contra Amazônia, diz Bolsonaro

Após demissão de diretor do Inpe, presidente reafirmou, em evento no Nordeste, nesta segunda-feira, 5, desejo de explorar área 'de forma sustentável'

Por Da Redação - Atualizado em 5 ago 2019, 17h15 - Publicado em 5 ago 2019, 17h12

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta segunda-feira, 5, que “maus brasileiros” fazem campanha com “números mentirosos” contra a Amazônia. A declaração foi dada em um evento de inauguração da primeira etapa de uma usina solar flutuante, instalada no reservatório da cidade de Sobradinho (BA).

“A Amazônia é um potencial incalculável. Por isso, alguns maus brasileiros ousam fazer campanha com números mentirosos contra a nossa Amazônia. E nós temos que vencer isso e mostrar para o mundo, primeiro, que o governo mudou e, depois, que nós temos responsabilidade para mantê-la nossa, sem abrir mão de explorá-la de forma sustentável”, disse Bolsonaro.

Nos últimos dias, Bolsonaro tem colocado em xeque dados sobre o desmatamento da Amazônia e dado declarações polêmicas sobre a preservação do bioma. No último dia 19, em café da manhã com jornalistas estrangeiros, o presidente da República afirmou que iria conversar com o agora ex-diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), Ricardo Galvão, por acreditar que os dados divulgados pelo órgão não condiziam com a realidade e prejudicavam o nome do Brasil no exterior. “Com toda a devastação de que vocês nos acusam de estar fazendo e ter feito no passado, a Amazônia já teria se extinguido”, disse.

Galvão também foi acusado por Bolsonaro de estar “a serviço de alguma ONG” após a divulgação de dados do instituto que mostraram um aumento de 88% no desmatamento da Amazônia em junho em relação ao mesmo mês em 2018. O presidente afirmou que os números eram “mentirosos”.

Publicidade

O ex-diretor do Inpe reagiu às falas de Bolsonaro, o que culminou na sua demissão. Na sexta-feira 2, Galvão anunciou sua saída, após reunião com o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes, e afirmou que suas declarações rebatendo as críticas de Bolsonaro aos dados do Inpe sobre desmatamento criaram “constrangimentos” que tornaram “insustentável” sua permanência à frente do instituto, dirigido por ele desde 2016.

Em entrevista, nesta segunda-feira, Marcos Pontes disse que o novo diretor do Inpe deve ser anunciado até terça-feira 6. Segundo ele, o critério será técnico e, entre os nomes, está um oficial da Aeronáutica, que é doutor em desmatamento. “Estou procurando um nome que tenha conexão com Inpe, que tenha conhecimento nessa área de desmatamento e em gestão”, disse Pontes.

Publicidade