Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Marta diz a Lula que “agora é a hora” de entrar na campanha de Haddad

A pedido de ex-presidente, senadora aceitou apoio em programa de Haddad

A senadora e ex-prefeita de São Paulo Marta Suplicy (PT) disse nesta segunda-feira, em almoço com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que “agora é a hora” de entrar na campanha do petista Fernando Haddad à prefeitura paulistana.

“Não tem nada de diferente do que falei desde o começo. Haddad vai fazer sua parte e a hora que eu for importante e puder ajudar vou entrar. Acho que agora é a hora”, disse Marta, após conversa de duas horas com o ex-presidente no Instituto Lula, na capital paulista.

Marta vinha se mantendo asfastada da campanha de Haddad desde que o nome do ex-ministro foi escolhido sem a realização de prévias no PT. Foi em novembro de 2011 que Lula e Dilma convenceram a senadora a desistir da disputa em prol de Haddad. Desde então, ela tem dado sinais claros de que não gostou da imposição do ex-presidente.

“Estou sempre onde estive. No sentido de dizer que quando começasse a campanha de fato e eu percebesse que faria diferença, eu entraria. E é isso que vou fazer. Vou entrar”, disse Marta, negando que tivesse guardado rancor por ter sido preterida da disputa.

Leia também:

“Ela tem muito prestígio”, diz Haddad

A ex-prefeita disse a Lula que estará disponível ao partido para fazer caminhadas, comícios e gravações para o programa eleitoral de Haddad. Segundo a senadora, o ex-presidente falará com o marqueteiro da campanha petista, João Santana, para que ele marque uma agenda de gravações com ela em breve.

“Acho que a gravação é importante, evidentemente, e até dei algumas sugestões de lugares onde acho importante ter comício”, disse a senadora.

A entrada de Marta na campanha é a aposta dos petistas para que Haddad decole nas pesquisas. No último levantamento do Datafolha, o ex-ministro aparece em terceiro, com 8% das intenções de voto, atrás de José Serra (PSDB), com 27%, e Celso Russomanno (PRB), com 31%.

“Eu acho que vai virar. E acho que é capaz de virar tanto que será Russomanno e Haddad no segundo turno”, afirmou Marta. Os petistas esperam que a adesão da ex-prefeita ajude Haddad a crescer entre os eleitores da periferia da capital, que hoje têm preferido Russomanno, de acordo com as pesquisas.