Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Marcos Valério é transferido para penitenciária em Minas

Advogado do mensaleiro alega que estava 'difícil e oneroso' deslocar parentes para visitá-lo na Papuda. Tranferência foi concedida pelo presidente do STF

Por Da Redação 28 Maio 2014, 10h43

Condenado a 37 anos, 5 meses e 6 dias de prisão no julgamento do mensalão, o publicitário Marcos Valério foi transferido na manhã desta quarta-feira para um presídio em Minas Gerais. Desde novembro Valério cumpre pena no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília. O aval foi concedido na semana passada pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Joaquim Barbosa. Ele deverá ficar preso na Penitenciária Nelson Hungria em Contagem, localizada Região Metropolitana de Belo Horizonte (MG).

O pedido de transferência foi atendido devido à solicitação do mensaleiro de ficar perto da família. A defesa de Valério argumentou que seria mais conveniente para os parentes que o preso fosse transferido para uma penitenciária próxima de seu domicílio. “Estava extremamente difícil e oneroso para a família fazer as visitas e todo preso tem direito de ficar recolhido perto da família”, afirmou Marcelo Leonardo, advogado que representa Valério. A transferência conta também com o parecer favorável da Procuradoria-Geral da República há cinco meses.

Leia também:

Marcos Valério pede transferência para cadeia em Minas Gerais

Conheça a cadeia onde Marcos Valério vai cumprir pena

Quando à concessão do direito de ser realocado para uma penitenciária em Minas Gerais, Barbosa afirmou em parecer que “a administração garantiu haver condições de receber o preso em condições de segurança”. “Apesar da cautela recomendada pelo juízo das execuções penais de Contagem (MG), considerada a possível existência de um plano para extorquir o apenado Marcos Valério ou seus familiares, o próprio condenado insiste no pedido de transferência”, escreveu o ministro no despacho.

Ensino à distância – Valério obteve redução de 23 dias na pena por ter completado dois cursos enquanto esteve preso na Papuda. O mensaleiro assistiu a aulas à distância de “inglês para iniciantes” e “direito constitucional” do Centro de Educação Profissional (Cened), que possui convênio com o governo do Distrito Federal.

Continua após a publicidade
Publicidade