Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Manifestantes planejam jogar ‘pó de mico’ na polícia do Rio

'Novidade' será usada em mais um protesto marcado para às 17h30 desta quarta, na esquina da rua onde mora o governador Sérgio Cabral, no Leblon

O protesto programado para a noite desta quarta-feira na rua onde mora o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, promete novos momentos de tensão entre manifestantes e policiais. O evento “Grande Ato na Rua do Cabral”, convocado pelo Facebook, tem mais de 10 000 confirmações de presença. A Polícia Militar do Rio de Janeiro descobriu, com o monitoramento de redes sociais, que uma das ações previstas é o uso de “pó de mico” – substância que causa irritação e coceira – e o lançamento de fezes de animais contra o edifício localizado na Rua Aristides Espínola, no Leblon, Zona Sul.

Leia: Governo do Rio admite excessos da polícia em protestos

Um relatório de inteligência da PM – documento informal que serve como primeira informação para a tomada de decisões do comando – informa sobre algumas das táticas defendidas pelos organizadores do protesto. Um dos manifestantes orienta o grupo sobre como preparar o pó de mico em balões de festa, para lançar sobre os policiais.

A segurança foi reforçada no local. Por volta das 15 horas, a rua do bairro do Leblon já estava bloqueada, com acesso restrito aos moradores. O Batalhão de Choque deslocou dezesseis veículos – além de outros três comuns da Polícia Militar – e um caminhão-pipa, usado para dispersar grupos com um jato potente de água. Cerca de setenta agentes já estão concentrados à espera da chegada dos manifestantes.

Leia mais:

Leia mais: Lindbergh Farias, o cara-pintada contra a bala de borracha

Jornada – A tensão com os protestos aumenta com a proximidade da chegada do papa Francisco, para a Jornada Mundial da Juventude. O pontífice desembarca na cidade na próxima segunda-feira, para uma semana de evento.

O primeiro compromisso é uma recepção no Palácio Guanabara, em Laranjeiras, onde também já foram feitas manifestações e houve tumulto entre policiais e manifestantes. Nesta quarta-feira, o Vaticano negou que haja planos de tirar do Guanabara a recepção, como sugerido por autoridades brasileiras de segurança.

Leia também:

Paes pede trégua nos protestos do Rio: ‘Papa não tem culpa’

Rio repete protesto com pancadaria e vandalismo

Reprodução

Evento no Facebook convoca para mais um protesto em frente ao prédio onde mora o governador Sérgio Cabral Evento no Facebook convoca para mais um protesto em frente ao prédio onde mora o governador Sérgio Cabral

Evento no Facebook convoca para mais um protesto em frente ao prédio onde mora o governador Sérgio Cabral (/)