Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Manifestantes convocam protestos para este sábado em diversas capitais

Mesmo após pronunciamento de Dilma Rousseff na noite de sexta-feira, manifestantes devem ir às ruas por todo o Brasil. Grande parte das manifestações é contra a PEC 37

Por Da Redação 22 jun 2013, 12h55

O pronunciamento de 10 minutos em rede nacional da presidente Dilma Rousseff não serviu para conter os ânimos dos manifestantes que estão indo às ruas de todo o país. Protestos já aconteceram na manhã deste sábado na cidade de São Paulo e Rio de Janeiro, e novas manifestações estão sendo convocadas nas redes sociais para diversas cidades do país, incluindo capitais como Brasília, Recife e Belo Horizonte.

Inicialmente, os protestos que estão varrendo o Brasil eram contra o aumento no preço do transporte público e os milionários gastos com a Copa das Confederações e a Copa do Mundo. Com o passar do tempo, uma grande variedade de bandeiras foram levantadas, como melhorias na saúde e na educação e penas mais rigorosas para políticos corruptos. Neste sábado, no entanto, a maior parte dos protestos será contra a PEC 37 – Proposta de Emenda à Constituição que tira o poder de investigação do Ministério Público.

Depois de perceber que esta questão é levantada pelos manifestantes – que veem nela um meio para os corruptos permanecerem impunes -, o Congresso decidiu na semana passada adiar a votação. Pelo menos 12 cidades terão manifestações contra a proposta, incluindo São Paulo, Brasília e Recife.

Copa das Confederações – Em Belo Horizonte, a terceira maior cidade do Brasil, um protesto foi convocado em frente ao estádio do Mineirão, que receberá a partida entre Japão e México pela Copa das Confederações. “A Copa para quem?”, questionam os organizadores do evento. A cidade contará com um forte esquema de segurança.

Continua após a publicidade

Em Salvador também foi marcado um protesto coincidindo com a partida entre Brasil e Itália, embora não esteja nos planos dos manifestantes uma ida até o estádio.

São Paulo e Rio de Janeiro – Na manhã deste sábado, uma manifestação de professores municipais interditou os dois sentidos da Avenida Celso Garcia, na Zona Leste de São Paulo. Eles reivindicam melhores salários e férias. De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), entre 200 e 300 manifestantes participam do ato, que é pacífico.

No Rio de Janeiro, o Movimento Rio de Paz fez uma manifestação na Praia de Copacabana em que reivindicava investimentos em saúde, educação e segurança pública no “padrão Fifa” – uma referência aos altos investimentos com eventos como a Copa. Foram colocadas na areia 500 bolas de futebol que representam, segundo Antônio Carlos Costa, fundador do movimento, “meio milhão de brasileiros assassinados nos últimos dez anos”. Os manifestantes, que começaram a chegar a Copacabana antes das 7h, não farão passeata e ficarão concentrados em frente à Avenida Princesa Isabel.

No Leblon, jovens do movimento Ocupe Delfim Moreira passaram a noite acampados na orla, próximo ao edifício onde mora o governador Sérgio Cabral (PMDB). A Polícia Militar acompanha à distância. O protesto começou na noite desta sexta-feira, quando manifestantes caminharam de Ipanema ao Leblon. Eles pedem melhorias na saúde e na educação e cobram explicações sobre o patrimônio do governador, além de criticarem os investimentos em obras da Copa.

(Com Agência France-Presse e Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Publicidade