Clique e assine a partir de 9,90/mês

Manifestantes arremessam moedas em vereadores da CPI dos Ônibus

Procurador-geral do município, Fernando Dionísio negou a formação de cartel entre as empresas de ônibus. Comissão teve mais um dia de protestos

Por Da Redação - 5 set 2013, 13h20

A segunda audiência pública da CPI dos Ônibus, na Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro, teve nova confusão entre manifestantes, indignados com a composição da comissão, e os vereadores. Um grupo de aproximadamente 15 pessoas protestava em uma das galerias da Casa e chegou a arremessar moedas nos parlamentares. Os seguranças foram até os manifestantes para pedir que parassem, e o grupo optou por deixar o plenário. Com a saída do proponente da CPI, Eliomar Coelho, do PSOL, a comissão passou a ser integrada apenas por vereadores da base aliada de Eduardo Paes, do PMDB.

Leia mais:

Leia mais: CPI dos Ônibus começa com tumulto e protestos no Rio

Quem assumiu a vaga deixada por Eliomar foi Marcelo Queiroz, do PP, que investigará as denúncias de irregularidades na licitação dos ônibus, em 2010, junto com Chiquinho Brazão (PMDB), Professor Uoston (PMDB), Jorginho da S.O.S (PMDB) e Renato Moura (PTC).

Continua após a publicidade

A audiência desta quinta-feira ouviu o procurador-geral do município, Fernando Dionísio, e o advogado do Consórcio Santa Cruz, Maximino Gonçalves Fontes Neto. O presidente do sindicato das empresas de ônibus do Rio de Janeiro (Rio Ônibus), Lélis Marinho, também deve prestar esclarecimentos.

Dionísio falou durante uma hora e negou a existência de cartel entre as empresas de ônibus. O Tribunal de Contas do Município (TCM) havia identificado indícios de formação de cartel na primeira licitação da cidade do Rio, em 2010, para operar as linhas de ônibus. Das 41 empresas inscritas, 16 participavam de mais de um consórcio.

LEIA TAMBÉM:

Oposição ao prefeito Eduardo Paes recorre à Justiça para suspender CPI dos Ônibus

Continua após a publicidade

Manifestantes, agora, mandam nos vereadores do Rio

Justiça mantém aliados de Paes no comando da CPI dos Ônibus

‘Uoston, we have a problem’: quem é o homem de Eduardo Paes na CPI dos Ônibus

Publicidade