Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Mais três diretórios do PSD decidem apoiar Dilma em 2014

Consulta do comando nacional da sigla deve resultar na aliança do partido com a presidente da República na briga pela reeleição

Três diretórios do PSD formalizaram nesta quarta-feira o apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff em 2014. Os representantes de Ceará, Mato Grosso e Pará anunciaram sua preferência na reunião da executiva nacional da sigla, em Brasília.

Em 27 de fevereiro, os diretórios da Bahia, do Rio Grande do Norte e de Rondônia haviam sido os primeiros a se posicionar pela adesão ao projeto petista. O comando do PSD vai continuar consultando os presidentes estaduais do partido para decidir a posição da sigla na eleição do ano que vem. Ninguém no partido duvida que o resultado final será uma ampla declaração de apoio à reeleição de Dilma.

“O importante é ter uma posição única nacional; depois de 2014, vamos ser governo ou oposição como um todo”, disse o presidente do partido, Gilberto Kassab, após a reunião desta quarta. Kassab reforçou que até a chegada das próximas eleições, a postura da bancada do PSD no Congresso será de independência, esclarecendo que o apoio à reeleição não significa que o partido entrou para a base governista.

Nos estados, a orientação será diferente: não necessariamente a legenda se aliará ao PT. Vale o pragmatismo do partido que já foi definido por Kassab como “nem de centro, nem de direita nem de esquerda”.

O PSD também interrompeu as conversas com o governo sobre a cessão de um ministério ao partido já neste mandato da presidente. “Não se falou mais neste assunto”, disse Kassab. A posição majoritária da sigla é de que a ocupação de espaços no governo neste momento poderia atrapalhar mais do que ajudar.

Mas a legenda não vai barrar a indicação de figuras que eventualmente sejam convidadas diretamente pela presidente, sem negociação partidária. Esse pode ser o caso de Guilherme Afif Domingos, cotado para assumir a Secretaria da Micro e Pequena Empresa.