Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

‘Lula é inocente’ e condenação ‘envergonha o Brasil’, diz Dilma

Ex-presidente diz que o Brasil vive um 'estado de exceção'

Por Paula Sperb
Atualizado em 4 jun 2024, 19h19 - Publicado em 12 jul 2017, 17h18

A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) defendeu Lula diante da condenação a nove anos e meio de prisão. “Lula é inocente e essa condenação fere profundamente a democracia”, disse Dilma, por meio de nota à imprensa.

O juiz Sergio Moro condenou Lula por corrupção e lavagem de dinheiro. A sentença foi divulgada nesta quarta-feira.

No seu comunicado, Dilma disse ainda que Moro condenou Lula sem provas e com “roteiro pautado por setores da grande imprensa”.

Para a petista, a condenação é uma “flagrante injustiça e um absurdo jurídico” que “envergonha o Brasil”.

“Lula é inocente. E o povo brasileiro saberá democraticamente resgatá-lo em 2018”, defendeu a ex-presidente em referência às eleições presidenciais do ano que vem.

Continua após a publicidade

Dilma também associou a condenação de Lula com a aprovação da Reforma Trabalhista no Senado, na última terça-feira: “Ontem, com indignação, assistimos à aprovação pelo Senado do fim da CLT. Uma monumental perda para os trabalhadores brasileiros. Agora, assistimos essa ignomínia que está sendo exercida contra o ex-presidente Lula com o objetivo de cassar seus direitos políticos”.

A ex-presidente também disse que o Brasil vive um “estado de exceção”. “O país não pode aceitar mais este passo na direção do Estado de Exceção. As garras dos golpistas tentam rasgar a história de um herói do povo brasileiro. Não conseguirão.”

Medida equivocada

Por sua vez, o Partido dos Trabalhadores (PT) definiu a condenação como uma “medida equivocada, arbitrária e absolutamente ilegal”.

Continua após a publicidade

Em nota, o PT chamou Moro de “juiz parcial, que presta contas aos meios de comunicação e àqueles que não aceitam a trajetória de sucesso de Lula na presidência”.

Na sua sentença, Moro afirmou que a defesa de Lula tenta desqualificar seu trabalho ao invés de apresentar provas.
No comunicado, o PT diz que a sentença de Moro “está baseada exclusivamente em delações premiadas negociadas ao longo de meses com criminosos confessos”.

“Lula não está acima da lei, tampouco abaixo dela. O que ocorre é um processo de perseguição”, afirmou o PT, em resposta ao texto de Moro. No documento, o juiz diz que “não importa o quão alto você esteja, a lei ainda está acima de você’”. Por fim, o partido declarou que “vai manter sua defesa intransigente a Lula, por acreditar em sua absoluta inocência”.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.